Blog do Sonho Eterno

Archive for the ‘Boca no Trombone’ Category

Recém comprei um celular TIM para aproveitar a promoção de pagar apenas uma mensalidade para conversar com meu namorado ilimitadamente. Ele mora em Minas e eu em São Paulo, então dá para imaginar os gastos que temos com telefone…  Fiz isso com o intuito de gastar menos com conta telefônica.

 

Logo que ativei a conta recebi a seguinte mensagem:

 

“Novo TIM Chip ativado! Recupere seus contatos salvos via TIM Agenda por apenas R$ 3,99 + imp. Responda com OK para sincronizar.”

 

Imaginei que esse número já havia pertencido a outra pessoa, então ignorei a mensagem. Quando foi ontem (22/12/2010) recebi uma mensagem, não lembro exatamente qual, mas dizia que minha agenda havia sido sincronizada! Na hora olhei os contatos e achei muita gente que não sei nem quem é.

 

Liguei para TIM no número de protocolo 2010220954347 e falei com Rafaela, expus o problema e a ligação “misteriosamente” caiu. Liguei de novo e falei com a Tatiana no protocolo 2010220957341 e ela me pediu para esperar a conta para reclamar. Vendo que estava bem descontente com a informação apenas saiu da linha, não me deixando possibilidade de dar nota pelo atendimento.

Anúncios

Como sempre digo, a gente não tem uma segunda chance de causar uma primeira boa impressão e quando se fala em varejo, o lema de qualquer empresa deveria ser “fazer bem pela primeira vez e sempre”! No entanto não é isso que a gente freqüentemente observa.

Quando o assunto é casamento, outras bodas, festa de debutante, formatura… não tem como fazer no dia seguinte, a festa é naquele dia e tudo precisa beirar a perfeição.

Esse ano meus pais completaram 30 anos de casados e resolveram comemorar essa data com uma linda festa de bodas de pérola. Para facilitar nossa vida, já que tínhamos que acertar muitos detalhes em apenas dois meses, decidimos escolher nosso vestido via internet. Entramos no site de várias marcas e escolhermos a grife de festas Suely Cencini. Fomos a loja do Shopping Morumbi experimentar e escolher nosso modelo.

Como estava calor, fomos usando rasteirinhas e roupa de verão. Creio que os vendedores nos acharam meio maltrapilhas, pois ninguém se ofereceu a nos ajudar logo quando entramos na loja. Quando achamos nosso vestido na arara. Minha mãe pode provar eu não, porque creio que o vendedor achou que estávamos apenas especulando e fingiu que não percebeu que queria ver o vestido. Tudo bem, como queria aquele modelo, comprei mesmo assim. Somente após pagar, a moça tirou minhas medidas, o vestido seria confeccionado nela. Embora tenha considerado o atendimento muito ruim, somente não desisti porque havia gostado muito do vestido.

Estive um pouco ansiosa quanto ao resultado do vestido em meu corpo, como não experimentei no dia, fiquei com medo de me engordar, já que estou uns quilinhos acima do meu peso ideal. No dia da primeira prova coloquei um corpete número 46, acho que a moça que tirou minha medida estava com tanta má vontade que me mediu que nem o nariz, no final levei um corpete número 42! Mas até aí não estava completamente brava e insatisfeita.

No dia da prova final, já com o corpete com o número correto tive uma assustadora surpresa. Quando a vendedora fechou o corpete em meu corpo, o zíper voou de sua mão, deixando-me com as costas completamente nuas. Na mesma hora a vendedora levou o corpete à costureira afirmou ter arrumado a peça, acreditei é claro! A vendedora colocou o corpete no meu corpo e eu não percebi que na realidade não estava nada arrumado apenas “maquiado”.

Não experimentei o vestido em casa antes e somente no dia da festa, 40 minutos antes da minha entrada na cerimônia, entraria com meu pai, fui colocar o vestido antes de me maquiar. Quando minha prima o fechou, aconteceu a mesma coisa que aconteceu na loja, o fecho do zíper saiu por cima deixando-me desesperada. Como ia ficar numa festa de peito de fora? Não tinha preparado um vestido “plano B” até porque, paguei o vestido muito bem pago e era a obrigação dele me atender no meu primeiro uso. Tentei arrumar o zíper, não consegui, minha prima tentou e não conseguiu. As duas maquiadoras que estavam lá também tentaram e não conseguiram. Uma tia também tentou e não teve sucesso. Nisso eu não me maquiava, porque estava desesperada tentando achar uma solução. Os convidados já estavam chegando e eu estava pelada! Ou seja, o vestido Suely Cencini estava atrasando a festa dos meus pais. Até que minha tia teve a idéia de chamar o seu marido, que é muito jeitoso e conseguiu arrumar o zíper. Porém com medo de ficar completamente nua, não o fechei até o fim, pois faltava o tal metal que segura o final do zíper.

Resolvi compartilhar com vocês a minha experiência para alertar contra os produtos dessa marca, assim como de qualquer outra. Sempre é bom testar, olhar, analisar porque no mundo está cheio de gente de caráter duvidoso que te engana para fechar uma venda ou se ver livre da gente.

Algumas pessoas pediram para ver meu vestido, ele de fato é lindo, porém defeituoso.

Eu usei exatamente esse vestido preto da esquerda e minha mãe usou esse vestido vinho, só que  na cor prata, um cinzinha bem clarinho.

Já reclamei do produto no site da marca, vamos esperar algum contato. Quando tiver atualização, comunico vocês.

Dia desses precisei usar o callcenter da Vivo para bloquear o recebimento de chamadas a cobrar. Estava recebendo muitas chamadas a cobrar inconvenientes, inclusive algumas em horários estranhos como logo cedo de manhã e muito de noitão. Enfim, acho que a vivo deveria atender a minha solicitação independente do que acontecia comigo, apenas com minha simples solicitação. Liguei uma, duas, três… enfim perdi as contas das vezes que liguei para pedir para bloquearem as ligações a cobrar, até que liguei para fazer uma reclamação, pedi para falar na ouvidoria. Quem me atendeu foi um tal de Lucas que tentou me convencer a não fazer a reclamação.

Quando ele viu que eu queria reclamar sim, falou que ia me transferir para a ouvidoria, eu fiquei na linha escutando musiquinha apenas 40 minutos, eles fazem isso para a gente desistir e não aumentar o índice de reclamação da empresa. Quando deu 30 minutos de espera, liguei para a ANATEL e já aproveitei para fazer duas reclamações da VIVO, a primeira deles não terem bloqueado o meu celular de receber ligações a cobrar após diversas tentativas e a segunda do tempo de espera, já que no meu entender, havia uma lei que regulava a nossa espera nos serviços de callcenter, sendo assim, a Vivo estava fora da lei.

Só tive as ligações a cobrar bloqueadas quando falei com uma atendente da ouvidoria. Menti que estava recebendo ligações do PCC, nem sei quem me ligava, afinal de contas, não atendia, só estava perturbada com a quantidade de chamadas a cobrar em horários para lá de inconvenientes. Embora ela tenha tentado me convencer a fazer um B.O. eu bati o pé advertindo que precisava do meu serviço cancelado. Eles não têm o menor interesse em cancelar as ligações a cobrar, porque quando a gente atende, eles ganham.

Domingo, por conta da reclamação na ANATEL uma funcionária me liga e diz que vão creditar em meu celular o valor da minha última recarga, como pedido de desculpas. Tudo bem que recebi apenas os R$25, mas pelo menos foi um agradinho, que nem se comparou ao meu estresse inicial.

Tags:

É sério, estou com medo de consumir. Todos os lugares que vou, sem exceções, me tratam como palhaça e não como cliente. Segunda-feira fui ao cinema, da rede Kinoplex, com minha mãe no Super Shopping aqui de Osasco. Além de acabar a força duas vezes no meio do filme, aconteceu uma coisa bastante inconveniente na saída do centro comercial.

Como também comprei no Wal-Mart e na C&C, poderia validar meu ticket gratuitamente, daí autentiquei no Wal-Mart. A moça do supermercado em momento algum me disse que deveria ir a até o guichê da Netpark para validar o ticket pela segunda vez. Aliás, aqui fica um parêntese para lembrar que eles fazem tudo para dificultar e a gente querer pagar o ticket para poder ir embora logo.

Quando fui sair do local, abriu uma chancela e a outra não. Fiquei como prisioneira entre duas chancelas. O moço da Netpark logo veio e perguntou se eu paguei. Expliquei. Então o rapaz perguntou se réu revalidei o ticket num guichê da Netpark, a resposta foi não. Então, tive que manobrar até um guichê, dentro do shopping. A essa altura, já havia perdido a minha vaga no estacionamento, que estava lotado. Era bem hora do jantar. Fiquei no carro e minha mãe foi. Teve que pagar R$1 e saiu de lá sem o ticket. A moça do guichê disse que avisou a central que eu sairia sem ticket.

Chegando a chancela, tive que parar e esperar o funcionário da Netpark outra vez, eu até sai do carro, enquanto ele ligava para a central. Sabe o que é o pior de perder tanto tempo? Ser tratada como uma prisioneira do local. Enquanto lembrar dessa história, não volto lá.

Algumas pessoas me procuraram para publicar suas reclamações aqui no blog. Na verdade ainda não tenho estrutura para fazer esse trabalho, ainda que considero isso super importante. Por isso, indico um site, o Reclame Aqui, eles publicam nossas reclamações e as empresas costumam responder.

Hoje aconteceu um fato bastante desagradável aqui em Guarujá. Como de costume fui tomar um suco no Suco com Bagaço do shopping La Plaje, aqui na praia de Pitangueiras. Comprei um creme de açaí, com granola e morango. Como é carnaval, o local estava meio cheio, o que não justificou a meia hora de demora para me avisar que não tinha o bendito morango, que eu já havia pago. Nesse ínterim várias pessoas que fizeram o pedido depois de mim, já havia até deixado o local.

A mocinha me chamou pela senha para me avisar que estavam sem morango, então deveria escolher outra fruta. Optei por banana, mas perguntei sobre meu dinheiro, já que o açaí com morango era um pouco mais caro. Se estivesse numa empresa séria que se preocupa em manter os clientes essa pergunta seria desnecessária, a vendedora devolveria minha grana sem burocracias, mas não foi o que aconteceu. É o meu Brasil. A priori a menina tentou me ludibriar dizendo que todas as frutas eram o mesmo valor, depois, quando eu mostrei a propaganda deles ela falou para eu entrar na enorme fila do caixa e reclamar lá. Lógico que não o fiz, e esse post não é exatamente por que me roubaram e sim pelo descaso comigo, cliente.

Vamos as fotos dos fatos:

 


Aqui nessas fotos tem a hora que eu chegeui, a hora que me avisaram que não tinha o que comprei e finalmente o que eu levei.


Foto do cardápio da suqueria, onde comprovo que o custo do açaí com morango é mais caro do que com qualquer outra fruta.


Canhoto do que eu comprei .


Meu canhoto de morango e a tigela cheia de banana.

Antes que me perguntem, não sou empresária, não quero destruir ninguém, não sou concorrente, sou apenas cliente. Só quero ser respeitada e não quero que as pessoas me temam porque tenho um blog, fazendo bem pela primeira vez e sempre, esse tipo de coisa não acontecerá.

Cara Debora,

Pedimos desculpas pelo ocorrido em nossa franquia. A rede Suco Bagaço tem a satisfação do cliente como seu principal objetivo.

Nosso controle de qualidade é muito rígido, com supervisão permanente nas 39 lojas franqueadas. A rede é a única a oferecer uma Central de Atendimento ao Cliente, funcionando 24 horas nos 7 dias da semana, pelo telefone 0800 772 6996.

Nosso telefone de atendimento é amplamente divulgado, em todos os materiais da rede, como copos, jogos americanos, cartazes, anúncios e site.  Já solicitamos aos nossos arquitetos que projetem as próximas lojas com o telefone 0800 nas fachadas, juntamente com os luminosos, de forma que se torne ainda mais conhecido.

Com isso mantemos um controle permanente sobre a rede franqueada, exigindo máxima observância às políticas de atendimento, higiene e qualidade.

Em alguns momentos a mão-de-obra falha, independentemente de nossa vontade. Assim que tomamos ciência, procuramos agir de imediato, de forma que os mesmos erros não voltem a se repetir.

Pedimos desculpas mais uma vez e a convidamos para outra visita à rede, como cortesia.

Estamos sempre à disposição.

Atenciosamente,

Maurício Fernandes,
Assessoria de Imprensa – Suco Bagaço

Todas às vezes quando chega o meu aniversário me dá um medo descomunal. As pessoas perderam o contato tete-a-tete, antes a gente ganhava um abraço no dia do aniversário, hoje em dia muitos simplesmente apertam a tecla send e te enviam alguma mensagem, muitas vezes algum texto que foi roubado de um site e pronto! Você não ganha beijo, ganha frios, quadrados e desesperadores pixels de algo que muitas vezes não foi nem escrito para você.

Ainda continuo odiando os parabéns virtuais, via Orkut, e-mail, sms e afins… com essa era tecnológica as pessoas estão cada vez mais próximas de pessoas distantes, porque é fácil falar com alguém que está na Índia, por exemplo. E mais distante das pessoas próximas, como os familiares, amigos e afins. Porque cada um tem seu PC, se tranca no quarto, vê tevê sozinho e manda mensagem no nosso aniversário. Embora ame um PCzinho a vida em grupo, o carinho das pessoas ainda não dispenso.

No ano passado quase todas as minhas tias simplesmente me mandaram e-mails, fiquei p*** da vida, algumas ligaram esse ano, outras meio que esqueceram do dia, depois dizem que preferiram me cumprimentar pessoalmente na minha festa. Puxa vida! Meu aniversário é dia dezessete de dezembro!

Esse ano algumas pessoas me surpreenderam negativamente, uma delas me deu parabéns via SMS, e é alguém que eu amo e tenho a maior consideração.

Pense nisso antes de apertar a tecla send de novo, talvez o mais elegante seria ligar.

E o pesadelo com a Capital Cartões continua! Quem quiser ler o post anterior, clique aqui para entender melhor o caso.
Fui viajar no final de semana passado, fiquei em um lugar onde male mal meu celular pegava. Quando cheguei em casa verifiquei que havia um e-mail da Capital Cartões, depois daquele problema que já descrevi aqui, eles disseram que tentaram inúmeros contatos comigo sem sucesso no sábado, por um momento acreditei, até falar com minha empregada, que estava em casa no sábado e garantiu que ninguém me ligou na ocasião.

No e-mail que me mandaram, pediam um telefone de contato, enviei o meu número, por isso esperei até as 13:30h de segunda-feira por um contato deles o que não aconteceu. Liguei para a empresa e o telefone que consta no site chamava até cair, somente as 14:02h uma tal de Mara atendeu o telefone, quando expus o problema ela falou que iria verificar. Depois de nove minutos de espera em meu celular ela não voltou à linha em nenhum momento para dar alguma satisfação. Observe a foto que fiz do meu celular com o telefone da empresa e o tempo de espera:

Após esse absurdo, desliguei o telefone e liguei de novo. Dessa vez me atenderam rápido, as 14:16h, falei com o Uerê. O que acho interessante nessa empresa é que nunca falei duas vezes com a mesma pessoa, nem por telefone e nem por e-mail. Uerê me deu sua palavra honra que devolveriam o meu dinheiro referente a um item até as 18h do mesmo dia. Minha compra era:

  • R$ 34,00 – impressão do cartão postal de Natal
  • R$ 34,00 – impressão do convite de aniversário
  • R$12,00 – motoboy para entregar.

Como eles falaram que já havia imprimido o cartão de Natal, que também acusaram estar com o formato errado anteriormente, mas para forçar a venda disseram que já estava impresso e não teria como devolver esse dinheiro, prometeram que devolveriam o valor de R$34,00 apenas, referente ao convite de aniversário, que eles mesmo cancelaram por esta fora dos padões. Embora insatisfeita, aceitei o ocorrido. Porém Uerê me adicionou um fato novo, ontem ele contou que meu cartão tinha ido para a fila de impressão as 17:49h de sexta-feira, porém a essa hora eu já havia solicitado o cancelamento e me disseram que não iam cancelar porque já estava impresso. Isso que dá, muita gente mentindo, uma hora se contradiz. Desliguei o telefone irritadíssima.

Por volta das 15h, quando minha fisioterapeuta fazia RPG em mim a tal de Patrícia da Capital Cartões me ligou. Contou-me algumas mentiras sobre o estorno e até o presente momento verifiquei que ele não foi lançado em meu cartão de crédito! Não sei quão grande será o meu trabalho para eles devolverem meu dinheiro tampouco quanto gastarei em ligações. Só lamento esse tipo de empresa e não recomendo em hipótese alguma!

O que fico triste é que estava fazendo uma coisa prazerosa, que era meu convite de aniversário e um cartão de natal, e devido ao desgaste perco até um pouco o gosto pela coisa. Ontem fiquei o dia todo mal humorada, até tento, mas não tem como essas coisas não abalarem nosso emocional. Já mandei imprimir o convite no Submarino em papel fotográfico, lá nunca tive problemas, sou cliente há mais de 10 anos, só queria um acabamento gráfico mais profissional, mas não foi dessa vez…

+ Info:

Foto: O prazo deles de 24 hora é uma propaganda enganosa, cuidado!

Foto: Outra mentira sobre os cartões de crédito. Para o azar da empresa eu trabalho no banco cedente de meu cartão