Blog do Sonho Eterno

Archive for the ‘Dicas de Filmes’ Category

Existe um pouco de perversão da mulher de família, embora isso nunca foi tão evidente em minha personalidade, afinal de contas, nunca fui namoradeira e muito menos traí namorado algum. No entanto, gostava de ler o blog da Bruna Surfistinha, a conheci antes de ser famosa ou de ir a programas de televisão. Tenho blog há muitos anos e os outros blogueiros são como nossos vizinhos, sentia-me até um pouco íntima dela.

Gostava de ler o blog da Surfistinha por ser tão diferente de mim, tão distante da minha realidade. Embora mais nova do que eu, poderia me dar aulas e aulas de sexo, no entanto eu dispensaria, gostava de ser apenas uma simples leitora. Ela era interessante, embora escrevesse de forma despretensiosa, cheia de gírias de internet e da putaria, ainda assim, conseguia manter a nossa atenção. Até por isso, ficou famosa, porque bonita ela nem é, mas era diferente das outras putas, tinha alguma bagagem intelectual.

Quando lançou seu livro Doce Veneno do Escorpião, fui uma das primeiras pessoas a ler, pequenino o devorei numa tarde, grande parte das histórias já conhecia da época do blog. Dai veio o lance do filme, soube de primeira mão, pois na época estudava com um rapaz da produtora. Criei uma expectativa enorme sobre o filme, no entanto nunca é tão bom quanto o livro…

A atriz Deborah Secco está ótima no papel de puta, principalmente nas cenas de drogadição, o olhar dela é de drogada, não sei como conseguiu. Fiquei impressionada, porém minha cara de nojinho seguiu ao longo da projeção, coitada. Ser puta não é fácil, embora considero que a Bruna tinha muito mais vocação do que necessidade. Pensa só, não imagino outro homem, sem ser meu namorado colocando a mão em mim, sempre fui mega restrita, imagina transar com seis parceiros diários? E não sou homens bonitos, jovens e cheirosos, são homens de tudo quanto é jeito. Nossa me dá náuseas. O filme tem cenas bem quentes de sexo, claro que nada muito explicito, mas Deborah Secco num memento fica peladinha montada em Cássio Gabus Mendes, que também está nu. Duvido que o cara não ficou animadinho.

Alguns detalhes do filme são, por exemplo que Dentinho passa-se por ator, o jogador faz uma cena bem rápida de sexo com a protagonista. Raquel Pacheco, a própria Bruna também faz uma ponta na película, como recepcionista de um restaurante de luxo. Dentro da longa metragem, verdade ou não, o irmão da Bruna aparece no prostíbulo na pele de um cliente somente para falar umas poucas e boas a ela. Não lembro de ter lido isso no blog ou no livro, assim como, não me recordo dela ter tido algum tipo de decadência depois que ficou famosa. Fica a dúvida se é verdade ou só serviu para aumentar a dramatização.

Eu recomendo o filme, mas pense com quem vai ao cinema, pode ser constrangedor. Não leve alguém muito velho ou sua filha novinha. Ah, a censura são 16 anos.

 

Update em 14/03/2011 – No final de semana assisti o programa do Amauri Jr com a Bruna Surfistinha, ela confirmou que usou drogas e que não existe irmão nenhum.

 

 

Honestamente, desde começou essa saga Crepúsculo tenho acompanhado por mera especulação. Não é meu tipo de filme favorito, acho muito fantástico e meio bobo demais, porém uma colega de trabalho que senta bem em minha frente vive dando suspiros apaixonados por conta do romance, o que me incentiva ver os filmes.

Essa semana fui ao cinema com uma amiga assistir o terceiro longa-metragem da série, chamado Eclipse. Que é tão inofensivo quanto aos filmes anteriores. Bella (Kristen Stewart) não vira vampira, tampouco casa com Edward (Robert Pattinson). As cenas quentes prometidas para essa edição do filme deixam a desejar. No máximo uma tentativa frustrada de Bella em tirar a camisa de seu vampiro favorito, que declina qualquer possibilidade de sexo.

Desde Lua Nova tornei-me totalmente team Jacob (Taylor Lautner) e dessa vez não foi diferente. Estou cansada desse romantismo sem graça, com flores no campo e muitos problemas, do tipo transformá-la ou não em vampira. Gosto da aproximação mais quente de Jacob, aliás, ele representa algo muito mais real e menos egoísta na vida da protagonista, que a meu ver inclusive, não tem nenhum sex appel.

Adoro fofurices, femininices e romantismos. Não é a toa que um dos meus estilos de filme favorito são aqueles açucarados próprio para seção da tarde. Assistindo ao filme O Amor Acontece com Aaron Eckhart e Jennifer Aniston, a senhora comédia romantica, ví uma das cenas mais romantiquinhas de ever. Até fiz uma montagem com o passo-a-passo das cenas, para compartilhar com vocês.

Eloise (Jen) sequestra Burke (Aaron) para um passeio. O surpreende com o empréstimo um caminhão, com aquele guindastre das fotos acima. Ela diz que queria tê-lo levado a um show, mas os tiquetes haviam se esgotados… então esta foi a solução. Inusitada e improvável para a maior parte das brasileiras que teriam que arrumar além do caminhão a licença para dirigi-lo, mesmo assim, achei a cena linda.

Como já era de se esperar, fui à estréia do filme Alice no País das Maravilhas do Tim Burton. Vi no cinema 3D, versão dublada, não sei por que dublaram o filme, já que a censura é 10 anos, onde acredito eu, a maior parte das crianças de 10 anos e que freqüentam cinema sabem ler. Anyway não sou uma cinéfila e não tenho a menor cerimônia em assistir filmes dublados ou legendados, assim como filmes em inglês e espanhol sem legendas, não ligo mesmo.

Achei o filme fofo, despretensioso, bonitinho, quase bobinho, como qualquer conto antigo para crianças onde se tenta ensinar alguma moral as crianças. Os efeitos do 3D não é nada tão alucinante, achei Avatar melhor, mas gosto do contexto louco e feminino da história de Alice de Lewis Carroll. Assim como achei os figurinos super adequados, e interessante as mudanças da indumentária de Alice, conforme ela crescia e diminuía.

Para quem ainda não sabe, o filme se passa anos após a história original, Alice tem 19 anos e está em uma festa da nobreza em Oxford, onde vive, até que descobre que está prestes a ser pedida em casamento. Desesperada, ela foge seguindo um coelho branco, e vai parar no País das Maravilhas, um local que ela visitou quando tinha sete anos, mas não se lembrava mais. O elenco conta com Mia Wasikowska como Alice, Johnny Depp como o Chapeleiro Maluco, Helena Bonham Carter como a Rainha Vermelha (adorei o cabeção dela, me senti homenageada) e Anne Hathaway como a Rainha Branca.

Em março o filme de Burton arrecadou US$ 116, 3 milhões nos EUA, vamos ver como será aqui no Brasil. Quem ainda não foi ao cinema ver, super aconselho. Alice no Pais das Maravilhas junto com O Mágico de Oz são os minhas histórias infantis favoritas.


Hoje chegou a minha revista Elle. Na contracapa tinha uma bonita foto de Audrey Tautou, a atriz protagonizou a Coco no filme Coco Avant Chanel. Não sou muito amante da fragância, porém adoro a atriz, mal posso esperar para ir ao cinema.

Mal posso esperar pela estréia do segundo filme de Sex and the City. Os flagras feitos em New York de Sarah Jessica Parker são no mínimo instigantes. A grande estrela agora apareceu num look com inspirações nos anos 80 – super tendência para o verão!

O site de fofocas Just Jared, chamou a diva de Material Girl fazendo uma alusão a Madonna, para essa composição. Repare como Carrie e Samantha estão parecendo astros do rock. Super me identifico com esse tipo de visual, tenho até uma jaqueta bem parecida com o colete da mais apimentada das garotas. Já Charlotte, como era de se esperar, esta mais bem comportada!

As garotas apaixonadas por Sex and the city e moda como eu, podem se animar. Saiu na imprensa americana fotos de Sarah Jéssica Parker, a eterna Carry gravando em Manhattam, New York, as cenas do filme Sex and the city 2. Quem não pode esperar a estréia, prevista para maio do ano que vem, pode se deleitar com as fotos.


Ontem de manhã, dia primeiro de setembro, Sarah apareceu usando um vestido branco meio transparente, uma carteira prata e dourada, óculos aviador espelhado e um par de sapatos de saltos altos dourados da grife Christian Louboutin. Os sapatos me remeteram ao desfile de Carlos Tufvesson no último Fashion Rio. Aqui fica uam lição de como o prata e dourado podem casar bem no mesmo look.


De tarde, para a gravação de outra cena, a atriz apareceu radiante num outro vestido, dessa vez roxo, uma bolsona enorme pink, chapéu preto – a mulher brasileira odeia chapéus, why? Nos pés, mais um par de Christian Louboutin, lindos de se ver. Ainda continua aquela onda de descombinar as cores, ou seja, nada de composições monocromáticas.

Abaixo, o look mais surpreendente do dia!

Não parece um retrospecto ao Flashdance? Uma alusão aos anos 80s. Carry aparece usando um moletom que deixa um de seus ombros a mostra, colar de pérolas, bolsa transparente – lotada de coisas, calça branca que afunila nos cambitos e um báaaaasico all star.

Será que a musa dos anos 2000 aparecerá grávida no filme? Muitas esperam isso, eu só quero ver as composições super-tendencia para 2010.