Blog do Sonho Eterno

Archive for the ‘Dicas de Música’ Category

A gente nem assimilou que Ricky Martin deu definitivamente baixa para o mercado feminino, assumindo ser gay, embora a gente já desconfiasse disso desde sempre, o cantor apareceu agora peladinho em clipe. Será que é para mostrar para gente o que perdemos, ou fazer propaganda com os homossexuais?  Seja qual o motivo, desfrute do clipe.

 Ricky está lindíssimo no clipe, exibindo uma ótima forma aos 39 anos, mas há uma dúvida que não quer calar. Estaria Ricky Martin querendo ser a Gisele Bundchen? Veja o clipe abaixo da modelo e tire suas conclusões:

 

Anúncios

A banda do meu irmão The Veggie Pimps acabou de lançar o clipe da música The Pupils Fanclub que já está disponível no Youtube. Meu irmão é um entusiasta, sempre criando coisas novas e inusitadas. O vídeo pode parecer meio familiar para alguns de vocês, foi gravado na sala da minha casa.

Ah! O vocalista e guitarrista da banda é o Guilherme e o baterista o Bryan. Uma peculiaridade da banda é que ambos são vegetarianos e gostam disso.

 Deixe um comentário para os meninos.

Oi gente, tenho um convite muito especial para fazer a vocês. O meu primo Leonardo, aquele fofo, lindo, querido e ultra mega talentoso fará um show amanhã, dia 20/03, na praça Elis Regina que fica ali no Butantã, na Avenida Vital Brasil, próxima ao Instituto Butantã, ou seja super perto de Osasco, do lado do templo Hare Krishna e de quem pensa em ir ao aniversário do Lineu, pertinho também. Desculpa as referências, talvez você possa não conhecer alguma, é que estou enviando o convite para vários amigos e postando isso em meu blog.

O show é um tributo a Elis Regina, que aniversariaria anteontem. Será uma tarde toda de homenagens a cantora com apresentações artísticas, contando com pessoas como, Regina Echeverria, amiga e biógrafa de Elis, além de outros artistas, intérprete e compositores.

Meu primo se apresentará em torno das 18h. Em seu repertório musicas de sua autoria, algumas que Elis interpretava e outras músicas que julgou interessantes para a apresentação.

Quem quiser conferir o novo clipe do Leo, veja abaixo.

 Este show será bastante importante porque após um longo período longe dos palcos, dedicando-se a carreira de piloto de avião, Leo volta para onde nunca deveria ter saído.

Leonardo já tocou no Bom Motivo, Steffani, Pizzaria Del Papa, Riviera, Mão Santa, em muitas festas lá em casa dentre outros lugares.

Veja o que saiu sobre o evento na clicando abaixo:

Continue lendo »


Quinta-feira, dia 6 de agosto, a convite da IBM, fui com meu pai a Sala São Paulo (complexo da Estação Júlio Prestes), assistir ao concerto da Orquestra Sinfônica de São Paulo. Ficamos na primeira fila do coro, um local super privilegiado. Em minha frente, há menos de 10m de distancia, estava ele, Fernando Henrique. Quis muito tirar uma foto com o ex-presidente, mas, como era de se esperar, ele saiu antes do final do show, provavelmente para não causar tumultos.


O regente foi o francês Yan Pascal Tortelier. Para quem não sabe a Orquestra Sinfônica de São Paulo – OSESP, é conhecida mundialmente e inclusive foi indicada pela revista inglesa Gramophone como uma das três orquestras no mundo nos quais deve se prestar atenção, embora não seja meu estilo musical favorito, valeu a pena prestigiar um evento desse tamanho.

Estou ficando chic, freqüentando os mesmos eventos do ex-presidente. Antes do show, fomos a um luxuoso cocktail num mezanino no mesmo local, digno de Sex and the city. Vejam algumas fotos que tirei meio escondido, porque dava a maior vergonha fazê-lo, só dava eu e as fotografas do evento com câmera na mão.

Tinha muita vontade de conhecer como tinha ficado a sala São Paulo e não me decepcionei!

Ontem foi o dia da terra da garoa receber o Just a Fest, com bandas de renome como Los Hermanos, Kraftwerk e Radiohead. Minhas pernas ainda estão doloridas e acordar hoje cedo para trabalhar, foi um verdadeiro sacrifício. Por isso, há algum tempo decidi que só vou a shows de bandas que amo muito, porque não tenho mais o pique de antes.

Los Hermanos

O que conhecia da banda não era muito mais do que a música Ana Júlia e eles não tocaram, segundo o meu irmão a canção esta fora do repertório da banda há anos. O grupo abriu o Just a Fest em São Paulo e considerei o show meio maçante e longo demais, acho que quando a gente não esta curtindo qualquer coisa fica longa. Pelo que vi a crítica não foi muito diferente disso, o site Terra lançou a seguinte manchete: “Los Hermanos mata saudade, mas faz show sem empolgação.”

A banda carioca ficou parada durante dois anos e se reuniu para o show do Just a Fest no Rio de Janeiro, sexta-feira, e ontem em São Paulo, acredito que muitas pessoas estavam ali especialmente para matar saudades da banda carioca. Ainda assim, a exaltação no decorrer do show não foi particularmente grande, os fãs apenas acompanhavam as musicas cantando, talvez pelo próprio estilo contido do fiel público do grupo. Segundo o mesmo site (Terra) a apresentação foi fria em comparação aos antigos shows. Também achei que parecia mais àqueles shows que a gente assiste sentado no Radio City Music Hall.

Los Hermanos é formado por Marcelo Camelo, Rodrigo Amarante, Bruno Medina, Rodrigo Barba (todos de camisas xadrezes e de tons parecidos) e mais músicos contratados em instrumentos de sopro, por exemplo. A banda tocou por cerca de 1:10h músicas de toda a carreira da banda, principalmente canções dos álbuns Ventura e Bloco do Eu Sozinho.

Confira o setlist dos Los Hermanos:
Todo Carnaval Tem Seu Fim
Primeiro Andar
O Vento
Além Do Que Se Vê
Condicional
Morena
Sétimo Andar
A Outra
Cara Estranho
Deixa O Verão
Assim Será
Cher Antoine
O Vencedor
Retrato Para Iá- Iá
Casa Pré-Fabricada
Último Romance
Sentimental
A Flor

Eu, como qualquer fashion addict reparei no visual dos fãs dos Los Hermanos. A maioria tinha estilo Marcelo Camelo, barba, cabelos meio sem corte e enrolados. Notei também uma turma com o cabelo estilo Chitãozinho e Xororó em inicio de carreia, mas renovado. O cabelo era repicado em cima, tinha os mullets na nuca e com a aparência de sujo, segundo meu irmão, muitas vezes era sujo mesmo. Alguns visuais me fez lembrar o Renato Russo, outras garotas pareciam a atriz Marjory Esteano na novela Caminho das Índias, com aqueles óculos horríveis de aro grosso. Será que é o novo estilo indie?

Kraftwerk

Meu pai foi ao show só para ver essa banda, que tem quase 40 anos de existência, a qual ele é fã desde a adolescência. Os alemães do Kraftwerk mostrou porque são referência em música eletrônica, o show reuniu uma fascinante mistura de música, vídeo e design. A formação atual, cujo único membro original é Ralf Hutter, apresentou com eficiência germânica um espetáculo audio-visual que, não se aproximava de nenhum show convencional. Muitos não conheciam a banda, fiquei até com medo de vaias, ia ficar com muita vergonha do meu Brasil, mas depois de certa calmaria, alguns dançaram conforme a música. Meu pai delirava ao início de cada canção, provavelmente relembrando algum momento especial de sua vida.

A banda é pioneira em música eletrônica nos anos 70s e é responsável por influenciar a existência de diversos gêneros, do electropop ao hip hop, passando pelo tecno e praticamente tudo que os seguiu no segmento da música feita com computadores e batidas mecânicas. Outro grupo de creio que se baseia bastante no Kraftwerk é o Blue Men de Nova Iorque, tanto na batida eletrônica como no visual.

Os temas das musicas sempre envolvendo robôs e futurismos, os quatro integrantes da banda estavam estáticos atrás de seus sintetizadores. Durante a canção The Robots os músicos foram substituídos por robôs que eram réplicas que deles mesmo. Os robôs se mexeram durante toda a apresentação. A galera gostou bastante da ousadia. A qualidade excelente do som só colaborou para perfeição do espetáculo. Em nenhum momento os músicos apareceram no telão, somente as suas pirações visuais, algumas com cara de vintage. Arrisco a dizer que vi o construtivismo russo em outros momentos.

 

Setlist do Kraftwerk

Intro

The man-machine

Planet of visions

Numbers

Computerworld

Tour de France

Autobahn

The model

Les mannequins

Radioactivity

Tee

The robots

Aerodinamyc

Musique non stop

Radiohead

 

A banda subiu ao palco da Chácara do Jóquei, zona sul de São Paulo, pontualmente às 22h e só saiu 2:21h mais tarde! Com um público estimado de 30 mil pessoas entre jovens e grisalhos, foi a primeira vez que os ingleses tocaram em São Paulo após 20 anos do surgimento da banda. Logo no início do show, Thom Yorke cumprimentou a platéia com um “boa nothe.” E o público brasileiro acha demais quando alguma banda gringa troca algumas palavras do nosso difícil português. Ao final, ele arriscou um “obrigada”.

O palco foi todo redecorado após a saída dos alemães. Com tubos luminosos impressionantes que iam desde o teto da estrutura até próximo dos integrantes, criando um efeito visual diferenciado. A sincronia entre luzes e cores seguia o ritmo das músicas e davam o tom com efeitos que iam desde ondas oscilantes e cascatas de luz. O show foi marcado pelo repertório variado entre canções do álbum mais recente e seus antecessores, a banda britânica se deparou com um momento inusitado. Ao finalizar Paranoid Android, canção do CD OK, Computer (1997), a platéia permaneceu entoando o coro que marca o fim da música. Nesta situação, o vocalista Thom Yorke voltou ao microfone e prolongou o verso com a ajuda da platéia.

Os momentos que mais contagiaram a apresentação foi quando tocaram Lucky, Creep e Fake Plastic Trees. Esta última conhecida especialmente no Brasil por ter se consagrado como “música do Carlinhos” ao virar trilha sonora de um comercial de TV que repudiava a discriminação de crianças com Síndrome de Down. Ao fim da canção, era possível ouvir gritos de “Carlinhos” entre a platéia.

Já no telão, que deixou o público na mão logo ao fim da primeira música e só voltou a funcionar na sexta canção. Ouvi muita gente reclamando. A projeção fazia um mosaico de imagens seguindo os membros da banda. Com alguns ângulos inusitados, era possível acompanhar a movimentação dos integrantes e suas performances fora dos formatos tradicionais.

Bis do bis do bis

No final, o Radiohead teve dificuldade de sair, sendo assim, tiveram três bis. Após deixarem o palco pela primeira vez, a banda retornou com Videotape, Paranoid Android, Fake Plastic Trees, Lucky e Reckoner.
Enquanto a deixa serviu para parte do público já deixar o local, o que não entendo, porque muitas bandas fazem bis, Thom Yorke e seu grupo voltou com House of Cards, You and Whose Army e Everything In It¿s Place. Ao deixar o palco, poucos pensaram que o Radiohead iria voltar. Engano. “Adivinhem qual é essa”, anunciou o vocalista antes de cantar Creep, embalada em coro pelos paulistas na última atração do Just a Fest.


Confira o setlist de São Paulo
15 Step
There There
The National Anthem
All I Need
Pyramid Song
Karma Police
Nude
Weird Fishes/Arpeggi
The Gloaming
Talk Show Host
Optimistic
Faust Arp
Jigsaw Falling Into Place
Idioteque
Climbing Up The Walls
Exit Music (For A Film)
Bodysnatchers

Bis 1

Videotape
Paranoid Android
Fake Plastic Trees
Lucky
Reckoner

Bis 2

House of Cards
You and Whose Army
Everything In Its Right Place

Bis 3

Creep

O público não agitou muito, o máximo que se via eram coros diante de sucessos conhecidos, mesmo na turma do gargarejo. Isso não significou que o show estava ruim, e sim que estavam perplexos com tanto talento. Geralmente não costumo cantar em shows, tenho a voz tão estridente e sou tão desafinada que prefiro só prestar a atenção em quem tem talento para a coisa.

Organização

Algo raro quando se fala em show no Brasil é pontualidade. E contrariando qualquer estatística, todos os shows começaram no horário marcado oficialmente, ou seja, os roadies estavam bem organizados.

Havia filas enormes nos caixas para consumo de bebidas e outra fila enorme para retirá-la. Fora o preço, uma cerveja ou refringente em lata custando R$6 cada. Comentei com meu pai que isso era bom, já que ficaria mais caro ficar chapadão, não que a organização deveria pensar nisso ao estabelecer esse preço abusivo. Se bem que para mim, que acabei de voltar de Nova Iorque, R$6 num refrigerante é uma pechincha. Porém não tomei nem um copo d’água, como os banheiros eram de plástico, tenho um nojo relativamente grande quanto a isso.

Outra coisa que achei bem ruim é a evacuação. Quando o show acabou formou-se um tumulto enorme para sair. Fiquei pensando no caso de uma evacuação de emergência, mesmo com as saídas de emergência, iria muita gente sair machucada.

Maconha e Cigarro

Sabe, achei que estava fora de moda fumar, pelos ambientes que freqüento que geralmente é proibido o fumo. Fora que cigarro é uma coisa completamente retrograda, coisa de gente burra! Estamos há anos luz atrás dos Estados Unidos, em Nova Iorque, por exemplo, tem calçadas, ao ar livre, que esta escrito “proibido fumar nessa calçada”. Os fumantes são descriminados e é assim que tem que ser. No show Just a Fest fumar maconha era totalmente liberado, quiçá cigarro convencional. Na entrada não havia nenhuma fiscalização contra o uso de drogas, confesso que fiquei até com um pouco de medo, porque nessa entra gente armada fácil fácil. Tanto é que era proibido o uso de câmeras fotográficas e tinha gente até com câmeras grandes, tamanha a falta de fiscalização.

Em dado momento, no meio da multidão fiquei tão enjoada com a fumaça de maconha que coloquei o meu lenço, que estava no cabelo no rosto que nem os punks ou bandidos de filme de bang-bang.

Para os aficionados por arte como eu, uma boa notícia! Pela terceira vez o Cirque du Soleil esta de volta para a temporada de 2009 e 2010 aqui no Brasil. A turnê do grupo canadense ficará um ano no país, passando nove capitais brasileiras sendo Fortaleza, Recife, Salvador, Brasília, Belo Horizonte, Curitiba, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre respectivamente nessa ordem.

Cirque du Soleil é uma consagrada campainha circense e o espetáculo Quidam é reconhecido internacionalmente por sua intensa teatralidade aliada a números de impacto. Com direção geral de Franco Dragone e direção criativa de Gilles Ste-Croix, traz uma combinação única de performances acrobáticas, domínio técnico, figurinos e cenários extravagantes.
Num processo criativo de cooperação, os diretores e a figurinista Dominique Lemieux procuraram explorar os diferentes mundos da vida cotidiana, atribuindo aos personagens características e figurinos que refletem a personalidade dos próprios artistas.
Já a trilha sonora, assinada por Benoit Jutras, traz músicos, tocando ao vivo e revezando-se em vários instrumentos, desde violinos até guitarras. Os vocais variam entre a fragilidade de uma voz infantil e uma poderosa voz masculina, para criar uma atmosfera intensa e sensível.
A grandiosidade do espetáculo também pode ser traduzida em números: desde que estreou, no Canadá, já foi visto por mais de 9 milhões de espectadores em 20 países. No palco, 50 artistas de 15 nacionalidades, sendo três brasileiros – entre acrobatas, ginastas, palhaços, atores, músicos, cantores, dançarinos e demais artistas circenses. A montagem utiliza mais de 250 figurinos, 200 pares de sapato e 500 objetos de cena, além de arrojadas plataformas invertidas suspensas, que trazem os artistas à cena. Não perco por nada!

O Bradesco é o patrocinador exclusivo do espetáculo, sendo assim a compra poderá ser feita com os cartões do banco Bradesco e Amex, com condições especiais de parcelamento.

                                                                    

Cidade

Estréia

Fortaleza (CE)

11/06/2009

Recife (PE)

09/07/2009

Salvador (BA)

13/08/2009

Brasília (DF)

18/09/2009

Belo Horizonte (MG)

23/10/2009

Curitiba (PR)

04/12/2009

Rio de Janeiro (RJ)

08/01/2010

São Paulo (SP)

26/02/2010

Porto Alegre (RS)

27/05/2010

 

Cliquei aqui e veja o site da Ticket Master para o evento. Os preços em São Paulo variam de R$680,00 a R$230,00, mas vale super à  pena!

O bom de morar em São Paulo é que pelo menos aqui é o centro cultural da América do Sul. Aqui tem muito teatro, alguns bons restaurantes, turnês de coisas bacanas e shows de bandas que não são tão famosas assim, mas a gente adora! Ta, ta, ta… talvez você leitor(a) desse blog não gosta tanto assim visto que minha audiência não é composta por punks, mas estou feliz e comemorando, a banda inglesa Adicts virá ao Brasil, mais especificamente em São Paulo com sua formação original, para dois shows em março com a turnê “Life Goes On Tour 2009”. Segundo informações do Portal do Rock, essa será a última turnê mundial que a banda fará em sua carreira, depois ficarão apenas em solos europeus.

Para quem não conhece o Adicts aqui vai uma rápida explicação. Formada em 1976 no vilarejo Ipswich, cidade de Suffolk, leste da Inglaterra sempre foram influenciados pelo visual dos droogs, do clássico filme Laranja Mecânica, do diretor Stanley Kubrick. Famosos na cena rock independente, venderam muitos discos chegando inclusive a proeza de emplacar na disputada parada do rock britânico com seu segundo disco de estúdio, Sound of Music (1982) e o single Bad Boy.

Os produtores garantem que ainda tem ingresso para os dois dias de show (28 e 29 de março). Vejam mais informações do e-mail que recebi:

Dia: 28/03/2009 (sábado)
Abertura: Inocentes
Horário: à partir das 18hrs
Local: Eazy – Av. Marquês de São Vicente, 1767
Bairro Água Branca – São Paulo – SP
Info: (11) 3611-3121 – http://www.eazy.com.br

Dia: 29/03/2009 (domingo)
Abertura: Garotos Podres
Horário: à partir das 17hrs
Local: Eazy – Av. Marquês de São Vicente, 1767
Bairro Água Branca – São Paulo – SP
Info: (11) 3611-3121 – http://www.eazy.com.br

Ingressos:
R$ 60,00 (preço promocional antecipado)
R$ 50,00 (meia-entrada para estudantes venda apenas na Loja Estrondo)
R$ 100,00 (na porta, se sobrar)

Postos de venda de ingressos antecipados em São Paulo:
Consulado do Rock – Galeria do Rock -234/236/238 – Tel: (11) 3221-7933
Estrondo – Galeria do Rock – loja 340 – Tel: (11) 3361-8961
London Calling – Rua 24 de Maio, 116, loja 15 – Tel: (11) 3223-5300

Venda oficial de ingressos online:
http://www.ticketbrasil.com.br

Realização:
Web Rockers Entertainmente
http://www.webrockers.com.br

Detalhe: Comprei ontem meu ingresso no site Ticket Brasil e paguei R$69,90, eles dizem que não cobram frete e então esses R$9,90 é do que?

Alguém conhece esse Eazy? Espero que não seja um lugar tão zuado, já estou véia então o espírito punk não esta tão apurado.

 

O post de como foi o show esta aqui.