Blog do Sonho Eterno

Posts Tagged ‘Madison Square Garden

Na minha opinião vale muito a pena. Primeiro porque para nós brasileiros é uma coisa bem diferente, eu só lembro das musiquinhas que eles colocaram por causa do vídeo game do meu irmão, não sabia nem quanto tempo de jogo era. Agora descobri, são três tempos de 20 minutos, mas diferentemente do futebol, eles param o contador o tempo todo, só vale o tempo realamente jogado, as faltas, brigas e reinicios de jogo não são contados, o que deixa o jogo meio cansativo.

 

Não entendi direito as regras, mas se elas existem, devem ser bem liberais, os jogadores podem largar seus sticks, ou seja aqueles tacos que usam para movimentar o puck, que é aquele disco, para se baterem. Tudo com a supervisão dos juizes e colegas te time que não tentam separar. Depois, algumas vezes, eles ganham uma punição do tipo ficar 2 minutos sem jogar. Quem gosta de Ultimate Fighter vai amar o hockey, acho que por isso que eles usam tantos equipamentos de proteção, além das quedas, tem as brigas, os empurrões os esmagamentos ni muro de proteção da platéia… ví uma briga onde um dos rapazes perdeu até o capacete.

 

Outra coisa que achei bem interessante é que se permite a substituição ilimitada de jogadores, com o jogo em progresso e não precisa usar placa avisando as substituições, os jogadores só entram e saem, dependendo em que parte se está do campo muitas vezes. A gente fica até tonta de olhar. Como era de esperar, a torcida é bem introspectiva, nada se compara com a torcida do Timão, onde a Gaviões da Fiel fica o tempo todo cantando, tocando, batucando, incentivando o tíme. O máximo que se ouve é um grito tímido e curto de Let’s go Rangers, dura tão pouco que eu nem consegui filmar, não dava tempo de ligar a camera. Todas as vezes que começava uma briga eu gritava em coro “porrada” e dava vários gritos quando um dava uma ombrada no outro “isso, mata ele” que o rapaz da minha frente achou que eu já era recém convertida do Rangers, começou a me explicar que o time era mágico.

 

Isso porque ele não foi ao Pacaembu. No mais, pode ser também a sua oportunidade de conhecer o Madison Square Garden, que segundo eles, é a arena mais famosa do mundo, de repente, deve ser mesmo, não sei.

 

Faixa tímida do Rangers, alias, acho que isso é colocado pelo Madison Square Garden e não pela torcida, eles precisam ver um jogo do Timão.

 

Senhor ao lado acompanha o jogo e toma nota de tudo que acontece. Aliás, acho que é um hábito logal, ví muitos fazendo o mesmo.

 

Foto minha com mamãe, reparem que estou vestindo o manto sagrado.

Um empurrão.

Reinicio de jogo.

Minha mãe morreu de vergonha de mim.

 

Caminhão passa para arrumar o gelo, e leva sempre uma criança ao lado.

Depois de contar como foi a minha viagem através de um diário e com algumas fotos, resolvi compartilhar com vocês o que filmei com minha câmera fotográfica portátil, sendo assim, não esperem filmes em high defenition, ok? Apertem os cintos e tenham uma boa viagem!

Vídeo 1: O Elevador.

Em Manhattan os edifícios são todos altos, quando a gente chega aqui em São Paulo e consegue tranquilamente observar o céu achamos até esquisito. Lá tem muitas sombras fruto dos corredores de arranha céus, fazendo assim a cidade ainda mais gelada. O prédio do Hotel Marriott Marquis nem é o mais alto de lá, se não me engano tem cerca de 50 andares, e dessa vez ficamos hospedadas no 32º andar. Para matar a minha saudade do hotel, fiz um filminho simpático do elevador descendo até o primeiro andar (que aqui para a gente seria o andar térreo) e por sorte não parou durante a descida.

O elevador é panorâmico, então da para observar o hotel inteiro durante a descida, primeiro a academia, depois o restaurante, o centro de convenções e finalmente a porta giratória que dá para Manhattan. Ele desce (ou sobe) tão rápido, que as vezes da tontura. No vídeo você vai observar um pouco disso.

Já estou com saudades do hotel, da localização e principalmente do cheirinho da toalha limpa (que sabão eles usam?) e da cama, que atualmente é mais um sonho de consumo meu, uma cama tão confortável quanto a do Marriott. Quem já se hospedou em alguma filial da rede sabe do que eu estou falando.

Vídeo 2: Presente de Aniversário.

Neste vídeo faço uma criancice. Passo em frente a Louis Vuitton da 5ª avenida e peço para meu pai uma bolsa como presente de aniversário. O vídeo vale para ver pelo menos a vitrina da loja, que estava super bonita.

Vídeo 3: Strawberry Fields .

O B.B. King é uma casa de show bastante popular em Manhattan, sábado cedo já tem fila para entrar no local. Eles servem um almoço (às 11h) com comida típica americana e depois você assiste ao show, no caso os Beatles Cover, a banda Strawberry Fields que todos os sábados fazem um show lá. Meu pai queria porque queria ver o desempenho elogiado deles, desejo realizado e gravado. No vídeo estão tocando “All you need is love”.

Nesse dia estava muito animada, ao final de cada música gritava o jargão do meu querido Silvio Santos ai ai ai ui ui. Num momento de silencio gritei-o e o John Lennon cover falou para mim take easy. Meu pai ficou com vergonha.

Vídeo 4: Ellen’s Stardust Dinner 1.

Primeiro vídeo que fizemos no local, se não me engano foi na nossa terceira visita ao restaurante, fomos lá com os amigos do meu pai. Reparem quando o mexicano (uns dizem japonês) começa a cantar todo mundo presta atenção. Ele é o que tem a voz mais encorpada e diferente.

Vídeo 5: Show de Basquete.

Esse show de banquete no Madison Square Garden foi muito divertido. Tudo bem que era aquele humor pastelão americano, porém eu e meu pai rimos muito, minha mãe ficou decepcionada, ela pensou que era um jogo de basquete de verdade.

Vídeo 6: Lâmpada.

Lâmpada do MoMA.

Isso aqui era uma parte de intervenções artísticas, onde o artista plástico pega objetos do cotidiano e transforma em arte. Tirei fotos que quase todo conteúdo do MoMA, mas da lâmpada tinha que ser um filme.

Depois de observá-la por um tempo, comecei a achá-la macabra, pode?

Vídeo 7: Elle’s Stardust Dinner 2.

Voltamos no Stardust mais uma vez (e outras posteriores). Este dia foi após a nossa ida ao MoMA, saímos de lá com muita fome, já era 16h e não havíamos almoçado. Acho que por isso o restaurante estava vazio. O Stardust costuma lotar de fazer fila (no gelo de New York) para entrar.

Vídeo 8: Ellen’s Stardut Dinner 3.

Mais uma noite no Stardust e o mexicano faz o restaurante parar, tanto os clientes como os staffs.

Vocês lembram-se dele no vídeo anterior? Ele é um arraso e mau o vi servindo mesas como os outros garçons.

Vídeo 9: Gênio.

Fomos uma noite no píer 17, quando vi o gênio quis tirar a minha sorte, embora não acredite nesse tipo de coisa, fui pela diversão. Quis brincar que nem no filme Quero Ser Grande, e olha no que deu.

PS: Ao invés de pedir para crescer, deveria ter pedido para voltar ao tempo…

Vídeo 10: Ellen’s Stardust Dinner 4.

Essa garçonete cantora também já nos atendeu, ela não é muito simpática… mas tem uma voz interessante. No vídeo ela esta cantando Janis Joplin, uma das minhas cantoras favoritas.

No momento aconteceu um fato interessante, após cantar disse que uma garotinha (que estava fazendo 3 anos no dia), tinha-a acompanhado o tempo todo. Ainda brincou que essa geração só sabia ouvir Britney Spears. A menininha ficou toda tímida e correu para debaixo da mesa, local onde desfrutou do bolo que trouxeram para ela.

Vídeo 11: Ellen’s Stardust Dinner 5.

Esse para mim é o mais especial, é uma lembrança que trouxe do Jonathan, o meu querido.

As outras? Guardo noutro lugar.

Aconteceram dois fatos interessantes (um aqui no blog e o outro no multiply) com as fotos dele. As pessoas não sabem de nada da minha vida, julgam me conhecer visitando-me apenas virtualmente, mas aqui é tudo muito superficial (vazio e frio).

  1. Uma garota entrou no post onde eu comentei o comportamento promiscuo e vulgar de Priscila e deixou uma frase tentando me ofender. Fora que também tenho todo o direito de achá-la brega ao ponto que você pode tê-la como sua musa inspiradora e querer imitar seus passos. Ok! Cada um no seu quadrado. Porém a pessoa (que não quis se identificar, mas o IP a identificou) de uma forma bem chula disse que o rapaz (meu namorado) preferiria a BBB a mim. Pois bem, acho engraçado alguém escrever com tanta certeza sobre algo que não sabe o que aconteceu, sobre alguém que não conhece (não somos pessoas públicas) e ainda faz escolhas pela a gente.
  2. Outro detalhe importante foram as fotos no meu multiply. Aconteceu um fato inédito: poucas pessoas entraram no meu álbum fall in love again porém quem entrou fez muito acessos. Tirando a Debora (a abelhuda que ficou conversando comigo no álbum, por isso justifica suas entradas) reparei outra amiga com acessos diários, justo aquela rapariga que tentou seduzir um ex-namorado meu. É sério gente, vamos aumentar a auto-estima aí! Isso é coisa de gente desesperada, sem amor próprio e nem to falando em ética ainda.

Vídeo 12: Vandinha Adma’s.

Minha tia Teresina sempre disse que eu tenho o humor e o jeito da Vandinha, aquela integrante da família Adams. As vezes vejo o meu comportamento e vejo que eu sou a própria Vandinha. Observem o meu mau-humor e como minha mãe se diverte com ele.

Enjoy!