Blog do Sonho Eterno

Archive for setembro 2008

Agora chove torrencialmente no Guarujá! Acordei cedo, umas 7h, queria caminhar na praia antes de cair no mar, porém creio que não será possível, então voltei para a internet.

Ontem quando vinhamos para praia, em São Paulo ameaçava um dia ensolarado, porém conforme descíamos a serra o sol trocou com a neblina, garoa e finalmente a chuva. Quando chegamos ao Guarujá chovia forte, o acesso principal para a praia do Tombo e Astúrias estava alagado, aí prefeito, arruma isso é época de eleição!

Ao entrar no apartamento, da janela via dois surfistas nas águas se arriscando a chuvas e a ondas não muito convidativas a previsão era ondas de meio metro e com formação irregular, porém poderia melhorar durante o dia. Liguei meu laptop e pensei vou jogar monopoly o final de semana todo, porém do nada abriu um solzão, o dia ficou claro, de repente vi pessoas na praia praticando esportes, crianças colocando o pezinho no mar e a água ficou cheia de surfistas. Nessa hora as ondas já deviam ter um metrinho, fiquei tentada a cair na água, mas o pessoal se preparava para almoçar no Tahiti, que da sábado sempre tem um grupo de chorinho. Adoro esse restaurante, é perto de casa, do mar e o atendimento de primeira, quando forem lá procurem pelo garçom Ailton. Do restaurante avistávamos ondas boas, as pessoas pareciam se divertir na água. Por volta das 16h caí na água da praia de Pitangueiras, bem perto do Maluf, o tempo já havia mudado, chovia! Tinha alguma correnteza que nos arrastava o tempo todo em direção a Astúrias. Foi o meu melhor dia no mar, fiquei empolgada e feliz. Acho que se surfasse todos os dias, nunca ficaria de mau humor.

Image Hosted by ImageShack.us

Quando saí do mar, fui ao cinema, no shopping Shopping La Plage.
Assisti A Casa de Alice de Chico Teixeira. Alguém já assistiu? Achei o filme no mínimo louco. É o drama de uma manicure que mora na periferia de São Paulo e precisa enfrentar os percalços do dia-a-dia, com sua mãe que mora com ela, três filhos sendo que um deles é michê e o outro ladrão e seu marido cafajeste. Foi a primeira vez que entrei num cinema no Guarujá e confesso a vocês meus leitores, nunca tinha visto uma sala de cinema tão pequena (e ruim) como essa. Tive a sensação de quando era criança e ia ao Cine Estoril em Osasco com a vizinha (Dagnar e Kamyla Carrara) ver filmes da Xuxa, a gente podia escutar o barulho do projetor. Fora que além do projetor, escutávamos o filme da sala ao lado, apostei que devia ser algum filme de ação.

Mais tarde, passei pela feira de artesanato das Pitangueiras e na barraca que era do Tony tinha isto daqui:

Image Hosted by ImageShack.us

Esta marcada para hoje a cerimônia que jogará as cinzas do Tony no mar, porém com tanta chuva, não sei se estragará os planos da família.

Jantei no Tahiti novamente, é sem dúvida meu restaurante referido da ilha. Pedi pizza, a minha favorita são a Tombo e a Guaiúba, ambas com massa integral. Experimente! De noite o restaurante é ainda mais interessante, a musica continua ao vivo, um grupo que toca MPB e bossa nova, porque sempre tem um estrangeiros no restaurante. Dessa vez tinha um grupo de cinco coreanos, um casal deles levantou e dançou coladinho quando rolou uma musica romântica. Adorei.

Anúncios

 

Li hoje cedo no Folhapress que a empresa Time For Fun disponibilizou a venda de novos tickets para o show da Madonna. Segunda a empresa são ingressos que não tiveram a compra finalizada ou confirmada e faziam parte de uma “reserva”. Dessa vez as vendas serão feitas pelo site da Ticketmaster, call center, telefone (11) 4004-1007 (custo de uma ligação local para as cidades atendidas pela Embratel, demais localidades custo de uma ligação interurbana), de segunda a sábado, das 9h às 21h, bilheterias oficiais e pontos-de-venda.

Nos pontos de venda serão aceitos todos os cartões de crédito e dinheiro, sujeitos a uma taxa de conveniência. Por telefone e internet só serão aceitos cartões, quem tiver cartão de crédito do banco Bradesco ou Bankpar podem parcelar em duas vezes sem juros no cartão. A restrição de seis ingressos por CPF continua. Crianças de 12 ou 13 anos podem entrar acompanhados dos pais. A partir de 14 anos, os menores podem entrar nos shows desacompanhados.

Liguei hoje cedo para a Ticketmaster e ainda tinham ingressos para os dias nos dias 14 de dezembro, no Rio, e 18 e 20, em São Paulo, porém agora de tarde não consegui falar, porque caiu numa fila de espera, aguardei 10 minutos e não fui atendida.

Gostaria de ir ao show, mas toda essa afobação me deixa tão desinteressada. As pessoas parecem desesperadas, dormem na fila… ui!

Com a proximidade do dia das crianças resolvi fazer um post dedicado as garotas e principalmente aos pais. Panelinhas, fogões, máquina de lavar são presentes extremamente machistas! Por que não dá-los aos meninos? Porque esses brinquedos são cor-de-rosa? Por que acostumar às crianças que serviço de casa é uma tarefa estritamente feminina? A partir do momento que a mulher também trabalha fora as tarefas de casa devem ser divididas! Vamos tentar não criar futuros boçais machistas!

Minha história

Uma vez quando era menina ganhei um forninho de microondas. Ele ligava luzinha e fazia barulho, mas é obvio que não esquentava. Lembro que nunca brinquei que estava fazendo comidinha com ele, nem sei quem me deu, se foi você meu caro leitor me desculpe e não se desanime, usei-o para guardar as roupinhas das minhas Barbies que ficavam espalhadas na minha caixa de brinquedos.

Comprei o novo Guarah para experimentar. Não sou muito fã de refrigerante, não gosto, acho que tem gosto de plástico, especialmente o Guaraná. O Guarah é uma versão mais fraca e menos gasosa, mas sinceramente não gostei. O que vocês acharam?

Oscar de la Renta

Image Hosted by ImageShack.us

As garotas de perguntam, “Como vou dançar no casamento?” Porém a dança não é a parte essencial do casamento, a cerimônia é.

Entrevista de Oscar De La Renta a New York Magazine no ano de 2007.

Como foi seu casamento?

Fui casado por duas vezes, quer dizer três vezes, mas com duas mulheres. Minha primeira mulher era redatora chefe da Vogue francesa. Isso foi em 1967, falei para ela “Porque não conseguimos primeiro uma licença de casamento, e depois, um dia, se a quisermos, a gente se casa.” E foi exatamente isso que a gente fez. Nós fomos à City Hall de New York e lá existe uma coisa maravilhosa e outra humilhante. O ruim é a fila enorme que se tem para casar lá e o lado bom é que tem uma capela, no entanto não é uma capela para cerimônia religiosa. Fui casado com ela dezoito anos, quando minha primeira esposa morreu. Quando me casei pela segunda fez, foi na Republica Dominicana e organizei tudo.

Você planejou seu casamento sozinho?

Eu planejei todo o casamento. Alguns amigos estavam conosco na noite anterior ao casamento, era o aniversário da minha mulher eu fiz um brinde e disse: “Eu quero que saiba que amanhã vamos nos casar”. Ela não sabia de nada!

Você surpreendeu ela?

Ela ficou chocada, mas nos casamos. E nós estamos casados por pelo menos dezenove anos. No ano passado, fizemos uma cerimônia religiosa, porque só tínhamos nos casado no civil. Como testemunha tivemos nossos dois filhos, Moises e Charlie.

O que sua esposa usou?

Ela ficou preocupada porque estávamos em Santo Domingo de férias e ela não tinha nada para um casamento. Então ela vestiu um terno branco, que era a coisa mais próxima para uma noiva.

Dicas de Tendência:

Mesmo que o branco seja a cor preferida das noivas, de la Renta não exita em aconselhar as mulheres ignorarem a idéia Victoriana de pureza. Para sua cunhada ele desenhou um lindo vestido em diferentes tons de vermelho*.

O que fez para o casamento de sua filha?

Quando Eliza se casou eu estava tão nervoso que fiz dois vestidos. O segundo foi o que ela ficou mais bonita. Ela se casou na nossa casa com o mesmo cardeal que caseu eu e minha esposa. É muita emoção para os pais, porém creio que é pior para o homem que tem aceitar que sua garotinha se casou.

O que te levou a desenhar noias?

De vez enquando fazia um ou outro vestido de noiva. Eu sempre amei isso então decidi que era hora de fazer isso profissionalmente.

O véu é importante?

Sempre gostei do aspecto tradicional do casamento. Adoro a idéia do pai caminhando com a filha no corredor da igreja e levantando o véu na frente do altar. Ultimamente, existe muita pele exposta no casamento. Sou de um pais católico, por isso é um pouco difícil aceitar a idéia de se andar semi-nua na igreja.

O que inspirou sua coleção?

A eterna idéia de fazer desse dia um dia muito especial.

Observação da Autora do Blog: Embora não sejam comuns aqui no ocidente, os casamentos hindus na maioria das vezes acontecem com mulheres vestindo vermelho.

Entrevista cedida pela New York Magazine no ano passado.

(Brushfire/Universal)

Resolvi falar do documentário Thicker Than Water de 2004 agora porque há certa excitação acerca da visita de Jack Johnson ao Brasil. O documentário é estrelado pelos surfistas profissionais Patrick Shane Dorian, Rob Machado, Raimana Boucher, Saxon Boucher e Tim Curran e dirigido por nada menos que o nosso queridinho Jack Johnson.

Vendo esse tipo de vídeo sempre me pergunto por que não escolhi ser surfista antes? Quando tinha oito anos esse era meu sonho, aos 12 ainda o alimentava. Porém algum caldo mais forte e o não consentimento (atrelado ao medo) dos meus pais me tiraram dessa onda. Sabe, ser surfista é a melhor profissão do mundo! O escritório é na praia e te pagam para ficar no mar, viajando atrás de ondas boas… ai que pena que não percebi isso antes.

Esse filme recomendo para todo mundo que curte praia, mar, sol e água fresca. O documentário exibe diversas viagens de surf entre músicos, diretores e surfistas, no caso de Jack Johnson ele é os três ao mesmo tempo. O único inconveniente é que o filme é todo em inglês e não tem legendas.

Veja o trailer de Thicker Than Water:

Oscar de la Renta

Image Hosted by ImageShack.us

As garotas de perguntam, “Como vou dançar no casamento?” Porém a dança não é a parte essencial do casamento, a cerimônia é.

Entrevista de Oscar De La Renta a New York Magazine no ano de 2007.

Como foi seu casamento?

Fui casado por duas vezes, quer dizer três vezes, mas com duas mulheres. Minha primeira mulher era redatora chefe da Vogue francesa. Isso foi em 1967, falei para ela “Porque não conseguimos primeiro uma licença de casamento, e depois, um dia, se a quisermos, a gente se casa.” E foi exatamente isso que a gente fez. Nós fomos à City Hall de New York e lá existe uma coisa maravilhosa e outra humilhante. O ruim é a fila enorme que se tem para casar lá e o lado bom é que tem uma capela, no entanto não é uma capela para cerimônia religiosa. Fui casado com ela dezoito anos, quando minha primeira esposa morreu. Quando me casei pela segunda fez, foi na Republica Dominicana e organizei tudo.

Você planejou seu casamento sozinho?

Eu planejei todo o casamento. Alguns amigos estavam conosco na noite anterior ao casamento, era o aniversário da minha mulher eu fiz um brinde e disse: “Eu quero que saiba que amanhã vamos nos casar”. Ela não sabia de nada!

Você a surpreendeu?

Ela ficou chocada, mas nos casamos. E nós estamos casados por pelo menos dezenove anos. No ano passado, fizemos uma cerimônia religiosa, porque só tínhamos nos casado no civil. Como testemunha tivemos nossos dois filhos, Moises e Charlie.

O que sua esposa usou?

Ela ficou preocupada porque estávamos em Santo Domingo de férias e ela não tinha nada para um casamento. Então ela vestiu um terno branco, que era a coisa mais próxima para uma noiva.

Dicas de Tendência:

Mesmo que o branco seja a cor preferida das noivas, de la Renta não exita em aconselhar as mulheres ignorarem a idéia Victoriana de pureza. Para sua cunhada ele desenhou um lindo vestido em diferentes tons de vermelho*.

O que fez para o casamento de sua filha?

Quando Eliza se casou eu estava tão nervoso que fiz dois vestidos. O segundo foi o que ela ficou mais bonita. Ela se casou na nossa casa com o mesmo cardeal que caseu eu e minha esposa. É muita emoção para os pais, porém creio que é pior para o homem que tem aceitar que sua garotinha se casou.

O que te levou a desenhar noias?

De vez enquando fazia um ou outro vestido de noiva. Eu sempre amei isso então decidi que era hora de fazer isso profissionalmente.

O véu é importante?

Sempre gostei do aspecto tradicional do casamento. Adoro a idéia do pai caminhando com a filha no corredor da igreja e levantando o véu na frente do altar. Ultimamente, existe muita pele exposta no casamento. Sou de um pais católico, por isso é um pouco difícil aceitar a idéia de se andar semi-nua na igreja.

O que inspirou sua coleção?

A eterna idéia de fazer desse dia um dia muito especial.

Observação da Autora do Blog: Embora não sejam comuns aqui no ocidente, os casamentos hindus na maioria das vezes acontecem com mulheres vestindo vermelho.

Entrevista cedida pela New York Magazine no ano passado.