Blog do Sonho Eterno

Archive for the ‘Dicas de Restaurantes’ Category

Olha que lindo o cupcake que servimos em meu aniversário. Além de lindo, estava delicioso. Quem fez foi a Damodara da Banca Shanti lá de Embu. Tudo a ver com o tema “anos 50”. Os ingredientes utilizados foram açucar mascavo, farinha integral, morangos e ameixas. Ah, e completamente sem ovos!

Tags: ,

Ellen Stardust Dinner: É de longe o meu restaurante favorito por aqui. Não pela comida, que é tipicamente americana, cheia de sanduiches e massas, mas pela decoração do local, toda dos anos 50, baseada num concursos de misses do metro que tinha na época. O mais legal disso tudo são os garçons, que servem as mesas cantando músicas antigas e de musicais da Boadway. O clima do restaurante é super animado desde o café da manhã até o jantar, já fui em todos os horários e super recomendo. O meu cantor-garçom favorito é o Jonnathan que além de gatinho, tem uma voz maravilhosa. Deus foi muito generoso com ele deu muitos encantos num só corpo. Quem quiser ir ao local e conhecer meu garçom favorito agende sua visita para um sábado, agora ele só trabalha aos sábados sabe-se lá porque. Para os vegetarianos tem opções de veggie-burguer, mais de um tipo de massa, saladas e sobremesas com sorvete, já provei a taça simples e a banana split, super recomendo, aliás sorvetes e doces nos Estados Unidos são uma delícia. O que não gosto de lá é que as mesas da região do centro são muito próximas, além de escutar a conversa ao lado, ainda corre-se o risco de esbarrar nas pessoas, derrubar coisas da mesa, minha mãe já quebrou uma taça. E diferentemente desse tipo de restaurante no Brasil, onde a gente pode ir curtir uma música e ficar um tempão, lá é tudo bem fast você chega, come e se perguntam se quer uma sobremesa e você diz não, afinal é impossivel comer sobremesa aqui, um local onde servem tanta comida, já trazem a conta sem você pedir, tipo mandando você ir embora. Eles servem café da manhã, almoço e jantar.

Max Brenner: Uma chocolataria linda, para comer sobremesas deliciosas ou apenas levar chocolate para casa. Quem quiser, tem também opções de almoço, lanches… mas não deixe de pedir alguma coisa cheia de chocolate, a apresentação do prato é linda e o sabor fenomenal. No dia que comemos lá, por volta das 10h da manhã, nem almoçamos, os pratos são exagerados e o preço um pouquinho alto, mas vale muito a pena. O lugar é lindo, aconchegante, charmoso e limpo. Achei interessante porque eles aceitam minorias como funcionários, tinha um garçom anão.

Planet Hollywood: É um restaurante que a turistada adora, além de ter um acesso super fácil porque fica no coração da Time Square. Lá a decoração é super-poluída, cheio de figurinos e outros objetos de filmes, para dar o ar hollywoodiano a coisa. As pessoas sempre levam câmeras e tiram muitas fotos por lá. O atendimento é fofo, tanto as hooters como os garçons são simpáticos. O preço é um pouco salgado, você gasta facilmente US$60 numa refeição para duas pessoas sem sobremesa. Mas vale a pena almoçar pelo menos uma vez lá para conhecer. Uma dica, que acho super gostosa, é o drink que se chamava Bananarama e agora é Spiderman. É tipo um milk shake de banana, com calda de chocolate. Eu adoro. Para vegetarianos tem opções de veggie-burguer, batatas, pizza que queijo e macarrão. Enjoy! Eles servem café da manhã, almoço e jantar.

Bombay Indian Cuisine: Quer comer num restaurante com um atendimento simpático, uma comida indiana deliciosa num ambiente tranquilo, , limpo, agradável e com musiquinhas indianas suaves? Vá ao Bombay Indian Cusine, que fica na 9ª avenida, no número 764. Fora o preço super amigável, com direito a duas entradas, sobremesa e US$5 de tip, gastamos pouco mais de US$35. Os garçons são super queridos e ficaram todos felizes quando viram que eu sabia o nome de muitas comidas indianas. A 9ª avenida as vezes fica meio esquecida da turistada mas é um ótimo lugar para se explorar e conhecer. Na segunda vez que fomos ao local, ganhamos como cortesia uma sobremesa, um pudim de arroz com água de rosas. Estava delicioso e indico. Eles servem almoço e jantar. Durante a semana, na hora do almoço tem um super desconto na comida, aos domingos, até as 15h o almoço é tipo buffet.

Hard Rock Café: Embora não goste da comida do HRC, sempre tenho que entrar nele, primeiro porque fica ao lado do meu hotel, segundo porque a decoração é toda maneira com peças de famosos do mundo da música. Inclusive na entrada eles tem uma coleção de roupas dos Beatles, imagino o quão caro não foi. Para mim, possuem o pior hamburger vegetariano da cidade, pelo menos dos que conheço o preço é meio salgado, mas gosto dos drinques não alcoólicos, aliás aqui em NYC é muito fácil achar drinques sem alcool, o que também é legal. O preço de dois lanches para duas pessoas com direito a bebidas (cerveja para minha mãe e drinque sem álcool para mim) ficou em pouco mais de US$50. O HRC fica aqui na Times Square, debaixo de um luminoso com o nome dele. Deem uma espiadinha na lojinha, tem umas Barbies lindas, eu até tenho uma delas na minha coleção.

Pommes Frites: É uma bimboca que só vende batata frita. Embora eles tenham a “fama” da melhor batata frita do mundo, não sei se é porque fritam a batata duas vezes o que inclusive aumenta a gordura da coisa, ou porque a batata é importada(!), só sei que minha mãe odiou o lugar, achou super apertado e desconfortável. E cá entre nós, né? Batata frita é batata frita em qualquer lugar do mundo. Escolhi com o molho de cheddar e confesso para vocês, a batata com queijo (sem bacon, é claro) do Outback de São Paulo é muito melhor ou as que acompanham lanche aqui no Planet Hollywood. Fora que não gostei do atendimento, a vendedora-cozinheira super mal-humorada e sem a menor paciência. Para beber, duas geladeiras meio capengas com alguns poucos refrigerantes. Vamos ser realistas, né gente? Pagamos US$10 num cone grande de batatas e duas latas de refrigerante, comemos num balcão hiper apertado, ao lado da entrada de um estoque que dava para ver que estava hiper sujo. Vamos ser alternativos com critério, né?

Apple Bee’s: Restaurante caro, que fica na rua 50 entre a Brodway e a 7ª avenida. Para vegetarianos não tem opção, pizza ou babata frita e quem é paulista (local com a melhor pizza do mundo) deve imaginar o quão estranha é a pizza americana, de Pizza Hut para baixo. Aliás, acho que abrir uma pizzaria paulista aqui ia dar a maior grana, viu? Só fui a esse restaurante uma vez, fiquei de mal humor porque não tinha o que comer. Eles tem loja em São Paulo também.

Bossa Nova Brazil: Se estiver aqui em New York City e der aquela saudade da comidinha da nossa terrinha, sei que vai dar, principalmente se ficar muitos dias uma dica é o Bossa Nova, restaurante simpatiquinho, com garçons super prestativos e amigáveis que servem comida tipica brasileira. Uma atenção especial ao manjar de coco, uma delícia.Fora que você come ao som de música brasileira, a única coisa é que os garçons não falam portugues. O restaurante fica na 9ª avenida. Um almoço para duas pessoas, com direito a um café e uma sobremesa sai em torno de US$50. Eles servem almoço e jantar somente aos finais de semana, durante a semana só jantar. Pode ser que a programação mude na primavera, foi o que a garçonete nos disse.

Via Brasil Inc: Para vegetarianos como eu, não tem opção de prato pronto, como foram bem gentis, fizeram um prato para mim de salada e legumes cozidos. O restaurante é fino, elegante e bonito, o atendimento, como a maioria dos brasileiros, é super simpático, é legal visitar lá quando se está cansado do atendimento seco e frio dos americanos. Uma boa dica para quem aprecia a comida nacional. O restaurante fica na rua 46, também conhecida como Little Brazil no número 34 West. Ah, foi a comida o precinho é um pouco salgado.

Pizza Hut: Bom, a Pizza Hut é a Pizza Hut que vocês já conhecem. Porém, diferentemente do Brasil, ela é um local bem popular, a gente pede a pizza em filas, fica esperando de pé e quando fica pronta podemos comer no local ou levar para o hotel. Levar para o hotel numa caixa não é uma boa possibilidade, comer no restaurante parece ser a opção mais razoável, mas já adianto, aqui acho que a inspeção sanitária não é tão rigorosa como em São Paulo, então as vezes meio que dá um nojinho de certos restaurantes, esse foi um deles. Mas a pizza é saborosa, pode ser uma boa opção quando se quer economizar e/ou comer algo rápido. Tem diversos endereços em Manhattan, eu já comi na da rua 34.

Friday’s: O Friday’s tem bastante filiais aqui por Manhattan, porém para vegetarianos como eu, as opções são bem limitadas. Sempre tomo uma sopinha de queijo com brócolis, uma cumbuca dela já é o suficiente para deixar satisfeito, ou se não, peço por uma batata assada com queijo, na receita original viria bacon, mas obviamente que eu dispenso. O maior Friday’s do país fica na 7ª avenida, número 761, esquina com a rua 50. Tem uma filial dele aqui também na Times Square, mas eu não gosto muito do atendimento deles, tem pouco garçom para o tamanho do local e quantidade de clientes, daí o serviço fica super demorado.

Subway: Lanchonete já conhecida dos brasileiros, aqui tem uma em praticamente cada quadra. O legal do restaurante é que você meio que monta o lanche da forma que quiser, então tem várias opções para os vegetarianos… o estabelecimento cheira pão, o que é uma delicia. É uma alternativa barata para um lanchinho gostoso de manhã ou de tarde, e ao meu ver, bem melhor que o Mac Donald’s ou Burguer King no quesito saúde. Se você se sentir constrangido porque não sabe falar os nomes dos vegetais em inglês, por exemplo, fique sossegado, na vitrina dos lanches tem um adesivo com o nome de cada ítem e a foto, fica muito mais fácil. Em dois lanches pequenos e em duas garrafinhas de água pagamos cerca de US$10. Tem muitos endereços em Manhattan, eu fui em alguns, mas o meu preferido é o da rua 41, entre a Broadway e a 6ª avenida, é o único lugar que colocam 6 fatias de queijo, nos outros só a metade!

Wholefood Market: Não é exatamente um restaurante é um local onde vende comidas prontas, onde colocamos em embalagens de papelão e podemos comer em casa ou numa praça de alimentação, que fica lotada na hora do almoço, no local. Minha mãe detesta o local, primeiro que não gosta de comer em embalagens descartáveis, depois detesta a idéia de dividir mesa com desconhecidos, isso tem muito por aqui, fora que fica um falatório e como é um sucesso, fica muito cheio, muita gente indo e vindo. Porém para mim, vale a pena sim enfrentar toda essa gente porque a comida é deliciosa. Eles tem vários buffets só de sopas, comida macrobiótica, vegetariana, indiana – que é a minha favorita. Sempre tem samosa e o recheio é bem picante. Em qual lugar de São Paulo é tão fácil comprar samosa no meio da tarde sem ser num restaurante típico de comida indiana? É por essas e outras que eu amo muito New York.

Baluchi’s: Esse é o restaurante indiano preferido de minha mãe. Aqui por Manhattan tem vários e a gente meio que acaba só comendo nesse. Os pratos são bonitos – daqueles que a gente come com os olhos, deliciosos, picantes e com o sabor da índia que eu adoro. O preço não é dos piores, numa refeição para duas pessoas, incluindo duas entradas, gastamos US$56. O atendimento é meio frio, como a maioria das coisas aqui em NYC, a garçonete não anota nada do que a gente pede, temos a impressão de que vai vir tudo errado, mas no final as coisas funcionam. O clima é agradável, sempre com uma musiquinha indiana ao fundo. O restaurante não é 100% vegetariano, mas tem muitas opções para as pessoas que não comem carne assim como eu. Adoro a samosa de lá e um pão que eles meio que servem com vários pratos. Minha mãe ama o arroz dos indianos mas não tenho como palpitar porque não como arroz. O restaurante é uma rede e tem em vários locais em NYC, mas eu sempre como no Soho. O endereço do Soho fica entre a rua Spring e a Greene.

Jewel of India: Mais um restaurante indiano aqui em NYC. Só que esse é mais fino e a decoração também é mais bonita. É um local sossegado aqui na região da Times Square, se quiser fugir da loucura da Times, fica aqui a dica. Frequentado por família de nova-iorquinos, estava meio vazio, não é o tipo de restaurante que o turista gosta, preço alto e nenhuma atração show. No primeiro andar funciona o sistema a la carte quando chegamos, por volta das 15h a cozinha já havia fechado, então fomos para o andar de cima, num sistema de buffet. Além de entradas em saladas, pratos quentes, tinha também duas opções de sobremesa. Gastamos US$60 num almoço para duas pessoas no sistema self-service, o que nos fez achar o restaurante meio carinho. Para não fazer como eu, o horário do almoço é do meio-dia as 15h e o jantar a partir das 17:30 até as 23h. O restaurante fica na 15W, na rua 44. Praticamente do lado do hotel Marriott Marquis.

Thai Café: Só comi uma vez nesse restaurante vegetariano e tailandês que fica bem próximo do pier 17. Eu que amo comida indiana, feita para ocidentais, então apimentada, mas nem tanto, achei a comida muito quente. Tanto é que o que não faltava em nossa mera era um copo d’água que o garçom ficava a toda hora abastecendo. A sopa, o queijo tofu, a salada… tudo gente com muita pimenta. Minha mãe e meu pai que tem a tolerancia a pimenta menor que a minha não conseguiram finalizar o prato, eu fiz um esforço. Ao final pedi um sorvete, e morri de medo dele ser apimentado, já que um doce indiano, o chutney é. Depois de um período de ansiedade, surge o garçom com um sorvete normal de baunilha. Só recomendo para quem gosta muito, mas muito de pimenta. O atendimento é amigavel. O restaurante fica na esquina da Fulton com a Gold St.

Red – Mexican Food: Esse é um dos restaurantes favoritos de minha mãe, um dos poucos onde se é possível comer arroz e feijão aqui em New York, sem ser nos típicos brasileiros, dentro dos mexicanos taco. O que gosto desse restaurante é a entrada, douritos (como chama o douritos na comida mexicana?), com um molhino apimentádo super gostoso, a pimenta é suave e a consistência é leve, com uma nota que coentro, que eu amo. Super aconselho comer lá quando estiver pelas bandas do Pier 17 ou ponte do Brooklyn, que é tudo meio perto.

Não só de boca no trombone que vive o blog. Quando uma coisa é boa merece ser elogiada e receber todos os créditos. Um dos meus restaurantes preferidos em São Paulo é o América. Além de contar com um vasto menu para os vegetarianos, mesmo sendo um restaurante tradicional, os preços são amigáveis, o atendimento simpático e a comdinha deliciosa. Para a gente que é vegetariano além das saladas, sou meio encanada em comer saladas fora de casa, tem lanches e massas. Ontem jantei lá com papai e estava tudo perfeito, o ambiente aconchegante da filial do shopping Bourbon, atrelado a um repertório cheio de boa músicas, com muitas canções de Jack Johnson, meu cantor favorito do momento e sem contar com a ótima campainha. E como já falamos de massas estão com um festival delicioso delas. Provei o Spaguetti integral, foto abaixo, o melhor macarrão ever.

O macarrão vem igualzinho o da foto. Mal posso esperar para ir lá de novo. Vou convidar mamãe e o Jú para provarem essa delícia. Amo comidinhas roots e integrais. O festival das massas vai até o dia 1 de agosto. Aproveitem com moderação.

Tags:

Quer uma sugestão de restaurante doceria na região da 25 de março? Indico o Eskina que fica na praça de alimentação do Mercado Municipal.

Quando a gente passa em frente ao local já psomos convidados a degustar do doces, sorvetes, paves, pudins, mousses… tudo sem miserê. Só cuidei para não provar nada com ovo, já que sou vegetariana. O atendimento é super simpático, os vendedores são felizes, gentis e te tratam como um cliente deve ser tratado, dá super vontade de voltar, só pelo atendimento.

Os doces são deliciosos, tem tudo aquilo que eu amo. Doces do tipo de festa infantil, com brigadeiro, beijinho e camafeu, sobremesas como petit gateau, mousses, paves, gelatinas coloridas, morango com chocolate, fondue de frutas e o melhor, sorvetes. Tudo isso numa banca pequena, com uma vitrina maravilhosa, daquelas que dá vontade de comer um de cada.

Na sua próxima visita ao bairro, fica a dica para degustar os sabores da Eskina do Encanto.

Endereço:
Eskina do Encanto
Fila J (não consegui anotar o número do box)
Rua da Cantereira, 306
Centro, São Paulo, SP

Avaliação do Blog:

Comida

 
Atendimento

 
Limpeza
 
 
Preço

Quer uma sugestão de restaurante árabe em São Paulo, sem ser aqueles que faz a linha fast food na região da 25 de março? Indico o Raful que fica na praça de alimentação do Mercado Municipal.

Já fui duas vezes ao local, a primeira vez comi um beirute, com recheios 100% vegetariano e na última, uma pasta de abobora acompanhada de pão. Dá até para levar pessoas que não gostam de comida árabe, tem opções de comida e de junk food como pasteis.

Diz a lenda que o carro chefe de lá são as esfihas, mas eu ainda não provei nenhuma. O atendimento é simpático e rápido, a gente não perde a paciência esperando, ótimo para quando dá aquela fominha e estamos no meio das compras, tanto na 25 de março como no mercado municipal, e não queremos perder tempo.

Endereço:
Raful – Mercado Municipal
Rua da Cantereira, 306
Centro, São Paulo, SP

Avaliação do Blog:

Comida

 
Atendimento

 
Limpeza

 
Preço

 

Quer um programa bacana para a tarde de hoje? Sugiro um bar que recém conheci lá na Vila Madalena, o São Cristovão. O dono Leonardo Silva Prado, aficionado por futebol e torcedor do vasco, montou um bar temático, no quarteirão mais badalado do bairro. O Bar São Cristovão, também nome do primeiro time do craque Ronaldo é pequeno e com estilo de boteco, e sobrevive bem mesmo estando cercado de bares maiores, tanto é que está sempre abarrotado de gente. Além de servir pratos para almoço e jantar, tem muitas possibilidades de petiscos. Gostei dos pasteis (em especial do de queijo) e meu irmão é fanático pela batata portuguesa, chegou dizer que são as melhores do mundo.

O São Cristovão foi aberto em 1999, sua decoração conta com mais de 3 mil enfeites, fotos, flamulas, posters, bandeiras de futebol. A casa mantém até hoje uma clientela descolada e a gente com mais idade não se sente um peixão fora d’água, ou seja, o público é mais velho. Eles sempre tem alguma atração musical, na ocasião um grupo de salsa com super qualidade, só me senti um pouquinho desconfortável para conseguir falar com as pessoas que estavam a mesa por conta do barulho, mas como os instrumentos nem estavam microfonados, não tinha como abaixar.

Um chopinho Brahma sai por R$4,40 e a porção mais barata, a de batata ou mandioca R$16. O atendimento é simpático, embora eles tenham nos pedido para mudar de mesa e ceder nosso lugar para uma turma maior que precisaram juntar mesas. Abre de segunda a domingo, a partir das 12h até o último cliente.

Endereço

Bar São Cristóvão
Rua Aspicuelta, 533, Vila Madalena
Telefone 3097-9904

Avaliação do Blog

Comida

 
Atendimento

 
Limpeza
 
 
Preço

Adoro a gastronomia de São Paulo, aqui dá para comer comida do mundo todo, isso é se tiver paciência em enfrentar os longos congestionamentos. Hoje vou indicar a vocês, meus leitores ou de repente alguém que caiu aqui de paraquedas e está afim de um restaurante com uma comida boa na capital. Minha sugestão é o restaurante Prema, que fica em Pinheiros, pertinho da Faria Lima e da Rebouças.


O restaurante em sistema bufê serve muitas opções de pratos frios e quentes, amo o bolo gelado e salgado, para mim, o melhor prato do local e as massas. Se tiver sorte, pode encontrar algumas iguarias da culinária indiana. Para beber, além de sucos naturais, tem os lassis, uma bebida indiana a base de iogurte e alguma fruta, que eu adoro então fica a dica. Já tomei todos os sabores e todos são ótimos.


Outro detalhe a parte são as sobremesas. Para a gente que é vegetariano meio que carece de opções sem ovos, lá tem um monte de pudins (o de goiabada e o de iogurte são meus favoritos) além da banana celestial, que é de lamber os beiços.

Até minha tia que não é vegetariana, elegeu esse restaurante como o favorito dela por aqui.

Endereço:
Prema Restaurante Vegetariano
Rua: Diogo Moreira, 312, Pinheiros – São Paulo, SP – CEP 05423-010
Fone: (11) 3815-1448

Avaliação:
Comida

 
Atendimento

 
Limpeza

 
Preço