Blog do Sonho Eterno

Archive for junho 2010

Este conteúdo está protegido por senha. Para vê-lo, digite sua senha abaixo:

Anúncios

Acho que alguns conceitos que a juventude tem atualmente ­são valores extremamente ultrapassados. Algumas heranças dos hippongas, da época de nossos avôs, da pílula anticoncepcional e do sexo livre. Porém existe um grupinho de idealistas que resgatam para a sua vida pessoal alguns valores já praticamente esquecidos. Resolvi fazer um apanhado de comportamentos que considero modernos e outros assaz ultrapassados. Lembre-se, é o meu ponto de vista e não uma verdade absoluta.

 

Cafonice

Modernice

Sexo livre! Quantas e quantas gerações já foram adeptas do sexo livre, sem compromisso e aonde nós chegamos? As inúmeras doenças e crianças indesejadas, que hoje são adultos, que cresceram com inúmeros fantasmas. Já experimentamos que isso não dá certo e é um comportamento retrogrado, mas muitos ainda são adeptos pelo bel-prazer. Não acho que as pessoas devam casar virgens, mas precisam se preservar mais. Existe uma onda de começar e terminar relacionamentos facilmente, as pessoas se tornam descartáveis. Por isso, creio que resgatar antigos valores de família seja a opção mais acertada.
O homem achar que só porque as mulheres queimaram o sutiãs e buscaram certa igualdade, que não precisam ser tratadas de forma gentil e ser protegidas. Por exemplo, é mundial, no transporte coletivo há muitos anos o homem não se levanta mais para a mulher sentar. Pelo contrário, diante de sua maior força física, sai rasgando para entrar carro antes que a mulher, para não correr o risco de fazer a viagem de pé. Recentemente fiz uma pesquisa sobre comportamento masculino e feminino para um trabalho escolar. E a aquelas coisas que há pelo menos 30 anos caiu em desuso como abrir a porta do carro, puxar a cadeira num restaurante ou ajudar a mulher tirar o casaco são comportamentos que as mulheres admiram e sentem falta. Creio inclusive que muitos homens têm vontade de fazê-lo, mas sentem vergonha em serem considerados românticos demais… Aqui fica a dica, pode fazê-lo sem medo de ser feliz! Cafona é a indiferença ou fazer sua mulher carregar 500 sacolas de compras.
Resolver tudo na vida dando!A mulher (às vezes o homem também), já deu para o chefe para ser promovida, deu para um cara rico para pagar o silicone, deu para o organizador do evento para aparecer na festa do rodeio, deu para o amigo para conseguir um namorado. Deu, e tem dado!  Resolve tudo na putaria, mas se esquece que puta é a profissão mais antiga da humanidade.  Cafona, cafona e cafona! Resolver às coisas a base da competência.
Homem casado dando encima de outras mulheres. Quer coisa mais antiquada que aquele seu chefe, casado há 30 anos, te mandando bombons com bilhetes te convidando para um happy hour? Quantos já não fizeram isso nos últimos anos? O casal, mesmo após 30 anos de relacionamento, ter a chama da paixão acesa. O homem, mesmo após tanto tempo juntos às vezes manda um ramalhete de flores ou convida a mulher para uma 30ª lua de mel. A esposa, não é apenas mãe ou faxineira, e sim também uma mulher sexy.  Difícil, né? Mas tenho esse exemplo em casa!
O tesão no lugar do amor. Sexo sem amor, sexo muito fácil, sexo sem romantismo ou sexo muito rápido. Todos esses níveis de sexo já foram feitos por nossos antepassados. Agora é hora de ousar. Sexo por amor.
O maridão chega em casa, tira a calça, desabotoa a camisa, senta no sofá e toma uma cerveja sozinho. Surpreender o marido (ou a esposa) com um jantar diferente, comidinhas caseiras, mesa bem posta e muito agradinhos.
Usar shortinhos, tops, excesso de decotes, ficar sem camisa, dormir pelado… Muitas vezes insinuar é melhor que mostrar.
Dançar de quatro, isso mesmo, com os quatro membros no chão. Fui a uma festa no sábado e as meninas dançavam assim. A Janis Joplin já mostrou os peitos, Marilyn Moroni já mostrou à bunda. Isso é tão last season. Vamos resgatar um pouco de romantismo? Quem não se lembra daqueles bailinhos dos anos 90, de musica lenta e de dançar agarradinho. Muito melhor e mais prazeroso.
Tatuar o nome da namorada/esposa como prova do seu amor. Pois bem, até os marinheiros, um dos precursores das tatuagens, já o fizeram. Isso é antiquado, meu bem! Mostrar seu amor no dia-a-dia, dando atenção, tratando bem… quer escrever? Escreva no papel. Quebre a rotina, mande bilhetes, cartões, poesias… o que sua imaginação mandar.
Encher a mulher/o homem de presentes caros para surpreender. Ao menos que não se importe em pagar pelo amor, isso não é saudável para o relacionamento. Um gesto de carinho vale mais de que um homem grosso que dá muitas jóias. Você pode colher uma flor na rua e dar para a sua esposa.
Ficar noivo pela empolgação. Daí parece que ninguém é especial de verdade, ao final da vida a pessoa já teve uns 10 noivos, que foi inclusive o mesmo número de namorados. O homem surpreender a namorada com um belo anel de noivado, nem precisa ser de brilhantes de verdade, pode ser até de prata, mas o que vale é a intenção de se casar em um futuro próximo. O noivado para mim só acontece, por exemplo, quando o casal já está inclusive comprando/alugando a casa para morar. Antes disso é empolgação. Por isso, tem gente com 10 anos de noivado!
Mandar flores, bombons, poesias de amor, presentes ou chamar para sair uma pessoa, caso um dos dois seja comprometido. Isso é não é saudável. Acho bonitinho casais que trocam gentilezas de amor. Mulher também pode mandar flores, caso perceba que o parceiro gostaria de receber. Tem homem que é muito machista e acha que isso é coisa de gay. O segredo é observar o humor do parceiro. Uma vez minha professora da faculdade recebeu do seu namorado uma serenata de amor, em plena escola. Eu achei tudo muito romântico, mas ficaria encabulada se fosse comigo.
Presentes caros são aceitos quando a relação está madura. Não tente comprar as pessoas! Por exemplo, se tiver paquerando uma mulher que nunca deu bola para você para que dar uma gargantilha de ouro?  Certamente ela vai rir de você com as amigas. Já teve dúvidas desse quilate aqui no blog. Está inseguro no começo do relacionamento? Convide-a para jantar num restaurante bacana, que nem precisa ser dispendioso. 
Viver em função apenas do relacionamento. Não ter hobbies, não ter amigos, não poder ir ao shopping sozinho… Conheço casais que não conseguem comprar presentes surpresa para o dia dos namorados, porque não têm um segundo de paz. Isso não é saudável. Ser presente, mas ter individualidade. O que não significa que se pode ir para a night solteiro, mas dá para deitar na cama e ver um filme inteirinho sem ser interrompido.

Quem me conhece, nem que seja um tiquinho, sabe que amo produtos de beleza, assim como amo sapatos e coisas para casa. Acho os produtos para banho da Natura très cheirosos, sou uma consumidora dos sabonetes, creme de mão e dessa vez ousei comprar um óleo de massagem, da linha Natura Ekos que chegou hoje. A fragrância de andiroba é sem dúvidas muito gostosa, para massagear a própria pele ou a do benhê. Porém, entrando na minha área, a de designer gráfico, tenho uma critica para fazer. O rótulo da embalagem, aquele que vem no frasco não tem leiturabilidade.

E olha que eu tenho a vista super boa, mas o óleo atrelado ao rótulo defronte, tem a mesma cor da fonte. Um erro primário e grave na vida e qualquer designer. Acho os produtos da Natura lindos, alguns a gente come com os olhos, mas no quesito embalagem a empresa deixa a desejar. Já fiz um post  a respeito, clique no link ao lado – Embalagens da Natura.

Falando em massagem, ontem recebi uma bela massagem nos pés durante o jogo do Brasil…

Umas das coisas que mais me intrigam sobre o amor são os casais um tentando mudar o outro. Creio que a gente tem que gostar do parceiro independente de quaisquer modificações, até porque, não acredito que ninguém mude por alguém. O que pode acontecer são maquiagens, ou seja, por um tempo me comporto de tal maneira para te agradar e depois, com o tempo e com a convivência, mostro quem realmente sou.

Se tiver alguma característica em seu amor que considere insuportável, talvez seja à hora de repensar a relação, ou você alterar seu comportamento para aceitar aquilo que te desagrada e não exigir que ninguém se transforme por você. Isso não é amor, isso é conveniência, isso não é felicidade, é desespero.

Por isso, quando conheço algum homem, se tiver alguma característica que considero abominável eu nem tento me relacionar, afinal de contas a gente precisa admirar nosso parceiro e não querer que ele seja nosso robô. Falo por experiência própria, isso não dá certo!

Quando tinha 15 anos namorava um rapaz que achava que se vestia muito mal, aliás essa provavelmente será a queixa mais constante entre mim e meus namorados, até porque reparo em forro, costura, botões, altura de gravata, ou seja, pequenas particularidades que para mim, faz sim a diferença e para a maioria dos caras são meras nugacidades. Chegava ao ponto de ter vergonha dele em alguns eventos sociais. Ou seja, ou preciso de alguém com um gosto um pouco mais apurado ou alguém que não se importe em hipótese alguma em ouvir minhas sugestões. Porém a primeira alternativa seguramente é a mais acertada.

Achei uma nota de R$ 2,00 entrando no trabalho. Será que é sinal de sorte?

 

Sabe uma coisa que acho engraçado nessa minha vida Hare Krishna? São as cobranças que recebo por atos de terceiros… sabe? Por exemplo, outro dia fui a uma festa karmi e um devoto estava tomando aquela cervejinha básica. Daí ao invés de perguntarem a ele se isso era certo ou permitido, questionam a mim que nada de errado estava fazendo.

Tomar cerveja para devotos iniciados, que se comprometeram a ter uma vida espiritual e não se intoxicar para o Guru e todos os outros devotos, é um erro, claro! Achar que ninguém está vendo é outro, e Paramatma? Sabe? Eu não tenho culpa dos devotos que saem da regra, aliás, o tal sujeito nem amigo meu é. Por isso, acho fora de nexo essas cobranças que fazem a minha pessoa. Só posso responder por mim (no máximo por minhas duas gatinhas que são dependentes de mim).

A pessoa cuja a consciência está confundida pela ilusão percebe muitas diferenças de valor e significado entre os objetos materiais. Dessa maneira, ela se ocupa constantemente na plataforma do bem e do mal materiais e fica presa a tais concepções. Absorta na dualidade material, essa pessoa contempla a execução de deveres compulsórios, a não execução de tais deveres e a execução de atividades proibidas.

Srimad-Bhagavatam

O Senhor Krsna instrui Uddhava

(11.7.8)

 

 

 

Uma das coisas que mais me encucam no universo masculino, é a falta de bom senso de alguns exemplares do sexo. Tem coisas que não deixam a mulher envaidecida tampouco feliz, por isso se o seu objetivo for conquistar qualquer fêmea, pense se a garota não é apenas educada com você e não está em hipótese alguma te dando bola.

 

Eu explico. Tem um restaurante perto de casa que minha família e eu frequentamos. O atendimento é simpático, o ambiente familiar, as comidinhas são gostosas e o melhor, baratinho. Porém de uns tempos para cá, tenho me sentido um pouco invadida, tudo por causa de um garçom sem noção. Não que eu ache proibido um garçom iniciar um romance com uma cliente, mas tudo tem seu tempo e hora. Tudo começou com o excesso de bom atendimento. Como é algo comum na casa, não estranhei a priori. Não suspeitei do moço saber que sou vegetariana estrita ou que eu só tomo H2O, porque quando eu era criança o sorveteiro sabia que eu sempre tomava sorvete com uma bola de flocos e outra de brigadeiro, ou seja, saber o gosto dos seus clientes mais frequentes é meio que normal.

 

Porém, aos poucos, notei que ele fazia questão de atender nossa mesa, independente onde sentamos no salão. As vezes ficava muito tempo conversando com a gente e me fazia muitas perguntas pessoais, do tipo qual  faculdade eu fazia e onde estava meu namorado? Bom, quando algum homem que não me interessa em nada me pergunta sobre meu namorado, porque na verdade estão apenas me sondando, eu sempre confirmo que tenho sim, e na ocasião disse que ele estava em casa. Ou seja, eu mesmo queimo meu filme, afim de despistar quaisquer investidas. Daí ele quis saber se meu namorado era tão alto quanto eu. Claro que é. Meu namorado fictício sempre é um príncipe encantado.

 

Porém, nem as mentirirnhas sobre o namorado foram suficientes para o garçom se tocar. Em minha última visita ao estabelecimento ele chegou e acariciar minha mão três vezes! Como odeio que pessoas que não me interessam façam isso! É uma invasão,  uma intromissão em minha energia. Outra coisa que me incomodou e muito foram os  flertes, ele ficava andando de um lado para o outro, se escondendo atrás de um pilar, tudo para me olhar. Ao final do jantar, estava super desconfortável, com as mãos debaixo da mesa e olhando para baixo. Não sei quando terei vontade de voltar ao estabelecimento.